LOUVEIRA: Audiência apresenta Plano Diretor sobre Turismo

LOUVEIRA dá mais um passo para regulamentar as diretrizes necessárias e colher os frutos de um planejamento na área turística. Após mais de dois anos de trabalho, e outros de estudo, a turismóloga Rafaela Lourençon apresentou o Plano Diretor de Desenvolvimento Turístico em audiência pública realizada pela Câmara. O projeto está tramitando na Casa e poderá entrar em votação nas próximas sessões. A audiência foi comandada pelo presidente da Câmara, vereador Marquinhos do Leite (PTB) e contou com a participação do vereador Luiz Rosa (MDB), que secretariou os trabalhos. No público, menos de dez pessoas, entre elas, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Jailson Marinho. Durante a apresentação, a funcionária pública municipal explanou sobre os principais temas previstos nas diretrizes apresentadas no projeto de lei, que possui mais de mil páginas divididas em capítulos como o diagnóstico da realidade turística de LOUVEIRA, o plano ambiental, a legislação necessário, planos de comunicação e de infraestrutura turística e outros assuntos relacionados ao tema. Ela explicou ainda que as pesquisas indicam que o turista que visita LOUVEIRA é o do tipo que permanece um dia na cidade que vem em busca de paisagens, frutas, produtos artesanais, vinha e apreciar um café da manhã rural. Ações de sensibilização, conscientização e melhorias para o atendimento ao turista também estão previstos.

Após a explanação, o público participou da audiência fazendo questionamentos. O vereador Luiz Rosa quis saber sobre os projetos de obras físicas necessárias e também em relação à falta de sinalização adequada. O médico veterinário Estanislau Steck citou a necessidade de se promover cursos de atendimento ao turista, implantação de sinalização turística e sobre processos administrativos públicos para facilitação dos produtores rurais. O presidente do Conselho de Segurança (Conseg), Dimas Bersonnia sugeriu a criação de um local público para produtores rurais exporem seus produtos, com em feiras ou num mercado municipal. O proprietário do Hotel Santa Mônica, Moisés Seba Neto, parabenizou o trabalho realizado e solicitou que a administração pública se atente às instalações irregulares de estabelecimentos comerciais que possam prejudicar o turismo local. E por último, manifestou-se o professor Ezequiel Camilo da Silva sobre a falta de acessibilidade a pessoas com deficiência por toda a cidade. As respostas foram apresentadas pelo secretário Jailson. O projeto agora segue para a Comissões Permanentes dos vereadores, em reunião nesta terça-feira, 10.

Autor: Julliano Gasparini

Compartilhe esta notícia no
468 ad