LOUVEIRA: Coluna de João Batista – ‘Louveirando’

Prosear é preciso!

Onde Deus possa me ouvir, é o título da canção que me inspirou a escrever essa semana, uma linda canção composta por Wander Lee e cantada por vários cantores do nosso Brasil, pois sempre acreditei que o Brasil seja um país de todos, cada um no seu quinhão e como diz a outra música, “é o que lhe cabe deste latifúndio”, entendendo cada um com a sua formação o significado da palavra latifúndio.

Aqui em LOUVEIRA não é diferente, pois cada cidadão tem a sua forma de se relacionar com Deus e, muitas vezes, já ouvi dizer que o problema não é onde Deus possa me ouvir, pois a rigor Ele me/nos ouve sempre, mas sim onde eu posso ou possa ouvir a Deus, e além de ouvir compreender e além de compreender, praticar os ensinamentos colocados por Ele. Claro que, entre todas as pessoas, existem o que se dizem ateus, fato que não deve mudar em nada a percepção de que as coisas acontecem movidas por uma força universal, e o nome dado a essa força, é menos importante do que a força em si. Ainda assim, acredito que todos sejamos muito parecidos, por isso vivemos no mesmo planeta.

Nessa semana de finados aqui em LOUVEIRA, com certeza, haverá muitas visitas ao cemitério, o que já é uma tradição, pois é ali que muitas pessoas têm um contato com os seus entes queridos já falecidos, através de uma prece, de um sorriso, de uma flor ou mesmo de uma lágrima e, não importando a simbologia ou a reação de cada um, o que vale mesmo é o que está dentro do coração de cada peregrino e o motivo é individual, por isso, não cabe a ninguém julgar a motivação do outro, que Deus coloca como o nosso próximo.

Sendo dias de calor, o sorveteiro é sempre bem-vindo, pois parece que o nosso organismo, através do ouvido e do cérebro, ao ouvir aquela buzina típica dos sorveteiros, reage, e a boca até saliva por um sorvete, penso eu que os de fruta, sejam os mais apreciados por parecerem mais gelados que os cremosos. O sorveteiro, saindo do cemitério, passou por mim e disse: “parado não vendo nada, por isso ando e buzino”; fato comprovado ao avistar o ponto de ônibus com várias pessoas comprando sorvete.

Bem, a gente começa a “prosear” e as ideias vão surgindo e, como num diálogo os assuntos vão se entrelaçando, como que se estivéssemos sentados num lugar qualquer aqui em LOUVEIRA e as pessoas fossem passando, uma sentava – outra em pé mesmo, cada uma falando da vida num dia de finados. Então, se pensarmos bem, todos os acontecimentos que envolvam pessoas deveriam ser agradáveis espontaneamente, se não o tema, pelo menos o diálogo, se não a concordância total, pelo menos a percepção de que discordar não é de todo ruim, aliás, numa democracia é necessário que haja, além da discordância, um bom debate e a aceitação de que o outro tem o direito a uma opinião. A Lei que nos rege é a mesma, por isso será sempre Ela, a Lei, que nos colocará como dentro ou fora da Lei, seja ela civil ou moral. Tomemos um picolé antes e em paz, proseemos mais, pois o final, todos já sabemos.

Trilha Sonora / Se Eu Quiser Falar Com Deus / Gilberto Gil ou Elis Regina

 

Autor: Geraldo Maia 62

Compartilhe esta notícia no
468 ad