LOUVEIRA: Nova gestora prioriza diálogo e explica ‘problemas pontuais no atendimento’

Há cinco meses sob a administração da Irmandade, a Santa Casa de LOUVEIRA ainda é alvo de reclamações pontuais no atendimento, mas que estão sendo resolvidos aos poucos, segundo a administradora Natália Teixeira, que já trabalhava na gestão financeira da instituição, e que substituiu Elaine Martins. A Irmandade ainda perdeu, no final do ano passado, a gestão do Centro de Reabilitação de LOUVEIRA (CRL), que voltou a ser controlado pela Prefeitura. Desde então, o hospital vem se readequando aos recursos que recebe da Prefeitura, lutando para manter os seus serviços funcionando da melhor maneira possível com o objetivo de servir a população do município.

A reportagem da FOLHA NOTÍCIAS esteve conversando com a nova administradora, Natália Teixeira, que falou de suas origens, vida acadêmica, experiência em gestão de empresas, e como vem enfrentado a nova realidade causada pela ação política atual com relação à Santa Casa de LOUVEIRA.

FOLHA NOTÍCIASEm primeiro lugar queremos cumprimentar a nova administradora da Santa Casa de LOUVEIRA, e gostaríamos de informar aos nossos leitores alguns dados sobre a nova gestora, origem, resumo curricular, estado civil, idade, experiência.

Natália Teixeira: Vamos lá. Sou nascida em Jundiaí, mas vim para LOUVEIRA com 12 anos e trabalho na Santa Casa desde 2008 e estava na gestão financeira e recursos humanos, me formei em Administração de Empresas, com pós graduação em Gestão de Pessoas, tenho MBA em finanças e controladoria, e estava me preparando para o Mercado quando surgiu essa oportunidade de trabalhar junto com a mesa executiva da Irmandade da Santa Casa de LOUVEIRA.

FOLHA NOTÍCIAS: Como está sendo esse seu início na frente da gestão administrativa da Santa Casa?

Natália Teixeira: Chamou a minha atenção o fato de a Irmandade ser muito ativa, dinâmica, com reuniões e assembleias constantes visando sempre cumprir a missão de atender bem a população de LOUVEIRA, e estamos fazendo todo o possível para isso ao voltarmos a nossa atenção para a área técnica visando o paciente. E é assim que, passada a intervenção, tratamos com a secretaria Municipal da Saúde, trabalhando na área técnica com os profissionais técnicos da secretaria. A Santa Casa é uma entidade filantrópica, sem fins lucrativos, e é importante para a saúde da instituição e população manter os serviços na cidade e a transparência com o Poder Público.

FOLHA NOTÍCIAS : A redação da FOLHA tem recebido algumas queixas da população no tocante a alguns serviços oferecidos, como o ultrassom, por exemplo, que agora está sendo feito em VALINHOS, no hospital Galileo, acarretando um risco extra no deslocamento rodoviário do paciente e na demora estressante, chegando a relatos de cerca de 8 a 10 horas de espera sem alimento algum para fazer o ultrassom. Por que não se contratar esse serviço localmente, já que existem clínicas com esse serviço?

Natália Teixeira: Olhe bem, nós não tivemos tempo hábil para corrigir esses casos especiais. Tínhamos um convênio com uma empresa local através da Prefeitura, mas foi interrompido há cerca de 15 dias, e nesse tempo não conseguimos oferecer o melhor para o paciente, então usamos emergencialmente o contrato que já existia com o Galileo e iremos tentar viabilizar o serviço em local mais próximo, após cotações e estudos.

FOLHA NOTÍCIAS: Com relação ao que aconteceu com o CRL, a Prefeitura alega falta de prestação de contas. Você que trabalhou justamente nesse setor o que tem a dizer? É verdade o que a Prefeitura alega?

Natália Teixeira: Não sei a real intenção deles, o que sei é o que está publicado na mídia, mas falta de prestação de contas não é verdade, as contas são prestadas mensalmente, tanto do âmbito financeiro como do serviço prestado. Para nós não existe isso de erro ou falta de prestação de contas. Quanto à política, continuamos em parceria com a Secretaria da Saúde porque saúde é de todos e queremos que LOUVEIRA seja um município saudável, através de uma parceria saudável também com a Prefeitura.

FOLHA NOTÍCIAS: E a Câmara Municipal?

Natália Teixeira: No ano passado, logo que assumi, estive na Câmara conversando com os vereadores apresentando a nossa gestão, e alguns deles estiveram aqui. Este ano ainda não tivemos contato. Minha ida à Câmara teve essa intenção de ampliar o diálogo entre a Santa Casa e Câmara Municipal, assim como queremos ampliar com o Executivo, com o Judiciário e com a mídia. A nossa postura é de abertura e transparência, atender a população e os vereadores, queremos quebrar essa barreira que havia de falta de comunicação, principalmente com relação à utilização dos serviços da Santa Casa de forma adequada para um hospital de urgência e emergência. Muitas pessoas com queixas crônicas, ainda buscam a Santa Casa, quando deveria procurar os Centros de Saúde, porém, entendemos essa procura.

FOLHA NOTÍCIAS: Como sua gestão pensa na sustentabilidade do hospital?

Natália Teixeira: A população de LOUVEIRA é também responsável pela existência, manutenção, ampliação e melhoria da Santa Casa, então contamos com a utilização adequada do serviço. Pensamos em estruturar uma base para ofertar maiores serviços para convênios e cidades vizinhas, estamos planejando isso na parte da saúde suplementar, e contamos com a mídia para isso. Estamos trabalhando com captação de recursos em relação a empresas e doações. Além disso, temos o convênio com a Prefeitura de LOUVEIRA, que é muito bem vinda, para manter os atendimentos pelo SUS na Santa Casa e no PA (Pronto Atendimento) do Bairro. São cerca de 11 mil consultas por mês, e esse contrato precisa ser atualizado rapidamente, e para tanto contamos com a ajuda dos vereadores e do Pode Executivo Municipal, pois queremos manter a parceria e estamos à disposição para discutir e atender as necessidades do município.

FOLHA NOTÍCIAS: E o serviço de ouvidoria, tem funcionado bem?

Natália Teixeira: Estamos à disposição da população a quem queremos atender com qualidade. Instalamos uma Ouvidoria no Ambulatório, o fone é (19) 3848-8927, qualquer coisa pode ser trazida direto para nós, queremos acolher o que a população tem a dizer sobre a Santa Casa e o PA do Bairro. Casos como esse do ultrassom, são pontuais, perto dos 11 mil atendimentos, isso sem falar nos ambulatório de especialidades que continuam funcionando, e ampliamos para o atendimento a convênios e particulares. Precisamos saber dos casos pontuais de mau serviço para adotarmos as medidas administrativas cabíveis.

Autor: Geraldo Maia 62

Compartilhe esta notícia no
468 ad