VINHEDO: Vereadores cobram rapidez da Sanebavi para correção no valor das contas de água com medição a mais

Os vereadores Edson PC (PDT), Edu Gelmi (MDB) e Marcos Ferraz (PSD) criticaram na última sessão da Câmara de VINHEDO, o chamado ‘super aumento’ nas contas de água, onde parte da população teve uma surpresa no mês de Janeiro ao receber a taxa da Sanebavi superdimensionada em até cinco vezes acima do valor normal a ser pago.

Edu Gelmi (MDB), como presidente da Câmara de VINHEDO, solicitou rapidez nas ações da Sanebavi para a correção no valor das contas de água emitidas com valor maior. Edu explicou que  o problema atinge grande parcela da comunidade, e é decorrente da medição com dezessete dias a mais no período, o que causou a mudança na faixa de cobrança do consumo.

“O superintendente da Sanebavi é uma pessoa muito inteligente, ele deveria ter se antecipado ao problema”, explica Edu Gelmi. No discurso, o presidente do Legislativo vinhedense afirmou que a Administração Municipal ficou parada por dezessete dias no fim do ano e completou: “deveriam ter criado um sistema para que se fizesse a leitura naquele período de trinta dias”.

Edu Gelmi alertou que dois dias na leitura já fazem diferença na conta. “Dezessete dias são um estrondo”, alerta. A proposta do presidente da Câmara é que as contas geradas utilizem a média de consumo e, diante desta situação prejudicial aos contribuintes, recomendou que sejam refeitas as cobranças, com valor corrigido. “Senão, com certeza, todos serão prejudicados porque com dezessete dias tem caso em que a conta chega a dobrar de valor”. O vereador encerrou o tema pedindo que, nos casos em que a conta já tenha sido paga ocorra o desconto na próxima cobrança. “O erro foi interno da Sanebavi e peço que se possa corrigi-lo rapidamente”, finaliza o presidente Edu Gelmi.

Já o vereador Marcos Ferraz (PSD), ao se pronunciar sobre o tema na tribuna da Câmara, propôs à Sanebavi uma revisão das contas. “As contas de água nesse início de ano vieram em um valor muito superior ao habitual, em geral, e a informação que nós temos é que houve um período maior de medição, acima da média de 30 dias. Diante dessa situação, acredito que o natural seria ter feito a média do consumo de 30 dias para a cobrança, pois se for cobrar pelos 40 dias medidos agora no início do ano, além de cobrar 10 dias a mais, o que já desequilibra o orçamento de muita gente, esse período excessivo pode fazer com que o consumo mude de faixa, tornando o m³ da água muito mais caro para o consumidor. Entendo que a autarquia deva revisar todas as contas desse início de 2019”. O parlamentar informou que se reunirá com o superintendente da Sanebavi para tratar da questão pessoalmente e propor a revisão de todas as contas do início do ano.

O vereador Edson PC pediu que todos os cidadãos prejudicados o procurem na Câmara, com a conta em mãos, para ingressar com pedido de revisão e também devolução do dinheiro no Ministério Público, contra a Autarquia Sanebavi.

 

Autor: Geraldo Maia 62

Compartilhe esta notícia no
468 ad