Coluna Linhas Cruzadas – ‘Canimus Surdis’

coluna_jorge-lemos

‘Canimus Surdis’

Eis-me aqui, com voz embargada,  ‘cantando para surdos’ (canimus surdis). Neste cantar busco ajustar meu tempo a dura e triste realidade em que se coloca meu povo.

Disse-me um amigo na manhã de hoje repetindo um velho adágio Grego: “O que tem a ver o espelho com o cego?” Tudo, respondi: porque o pior dos cegos é aquele que possui olhos e não deseja enxergar. Que estranho futuro aguarda nosso país? Olho o povo, após as eleições municipais, reelegendo candidatos que foram ao poder à custa as altas doações promovidas por empreiteiras e imobiliárias e faz prevalecer em a corrupção que grassa também em todos os setores da vida pública.

Nós, aqui mesmo, em nossa região, não estamos distantes da enxurrada de dinheiro para a compra de votos em nossas cidades. Compra de políticos foi um fato. Correu farto o dinheiro vindo de onde? Quais os aliciadores? Quem se beneficiou ou vai se beneficiar alimentando o caixa dois dos candidatos. A Justiça está de olho? Não sei e tenho muitas dúvidas. No dia do pleito foram tantas as irregularidades com a avalanche de carros estacionados com cartazes de um só candidato que foi flagrante a irregularidade e nenhuma fiscalização.

Fácil também as manobras que se fazem nos bastidores para estabelecer o alinhamento dos vários setores numa estratégia que nos causa vergonha. Tive noticias que um determinado candidato por aqui usou e abusou disto e a Justiça não percebeu: compra de votos.  Prestem atenção. Dezenas de “cabos eleitorais” assalariados,  saiam para a distribuição do plano de governo de um candidato à reeleição.  O primeiro batia a porta, entregava o impresso e perguntava se ele já tinha candidato. O segundo, que portava uma prancheta fazia a pesquisa das condições dos moradores.  Perguntava: “Como o entrevistado via a administração do fulano”? Se a resposta já era determinada para outros opositores, a pesquisa terminava. Se o cidadão que recebia o programa estava em dúvida, indefinido, o entrevistador prosseguia e via quais as condições reais de necessidade do entrevistado e da família. Com o endereços e resultados das necessidades da família outro enviado ‘cabo eleitoral’ voltava e fazia propostas de dinheiro vivo.

Imaginem que o ‘caixa dois’ funcionou farto e ele, o candidato, obteve a vitória.

É assim que funciona a corrupção por aí. Quem tem o poder na mão e a chave do cofre, neste país, por mais safado que seja, continua sempre no poder. E, gente como nós, ficamos cantando para surdos, pois o povo, também, se puder, se vendo por qualquer bagatela. É de envergonhar!

***  Que País infeliz: Um dos maiores acervos Culturais do Brasil pode ser desmontado e perdido por falta de visitantes na Internet. Trata-se de do site www.dominiopublico.gov.br. Este instrumento de consulta durante todo o governo Lula e Dilma não mereceu divulgação necessária para estabelecer interesse de pesquisa por parte da juventude estudantil e da própria população. Uma amiga me chama atenção sobre alguns destaques do referido acervo: Obras completas de Machado de Assis, Plano de desenvolvimento da Educação, Musica Erudita Brasileira, Poesias de Fernando Pessoa, Literatura infantil em português, de Dante a “Divina Comedia”, Hinos Brasileiros tanto em coral como instrumental e centenas e centenas de obras importantíssimas para a formação cultural do povo.. Este acervo, prestes a desaparecer é do Ministério da Cultura e é uma fonte valiosa para professores e alunos.  Realmente enquanto o Ministério agia para beneficiar artistas propositadamente se esquecia de formar a nossa juventude dentro de padrões civilizatórios. Convido você jovem e professores a consultar este site e se enriqueça de conhecimentos. Tome nota: www.dominiopublico.gov.br

468 ad