Coluna Louveirando – Ano Novo, é?

louveirando@gmail.com

louveirando@gmail.com

Ano Novo, é?

A continuação do tempo nos leva a um ano novo, porque sendo assim, aparentemente fica mais fácil para aceitar as nossas rugas, disse rugas, não rusgas. Essas, as rusgas, deveriam ser mais facilmente resolvidas, apagadas.

Em LOUVEIRA poderia ser assim, pois tudo se tornaria menos mesquinho e a cidade, que dizemos amar, sairia ganhando, num bom português, nós todos ganharíamos. Já posso dizer para não termos medo de sermos ridículos, às vezes claro, ou sempre, como muitos insistem em ser, eu mesmo posso dizer que rolo no chão quando toca uma música dos Mamonas Assassinas. Prometo a mim mesmo que nunca mais farei isso, prometo. O que fazer então? Faça o seu melhor dentro do meio em que você vive, exerça a sua autenticidade, sem aquela frase de sinceridade que na verdade muitas vezes é uma desculpa para a falta de educação. Não dê a desculpa de que está fazendo o melhor para o outro, ‘é melhor assim’, ‘se fosse eu’, ‘não te falei?’.

Horrível! Acredito que temos a capacidade do bom convívio, que a meu ver não quer dizer concordar com tudo, mas compreender que somos todos diferentes, embora muito parecidos, pois vivemos no mesmo mundo. Se quero o melhor para LOUVEIRA, que eu comece por mim, ora pois! A minha cidade, que é a nossa cidade, chegará ao próximo ano nos observando. Ah se ela contasse tudo que ela vê e ouve de nós….

Sorte ela não fazer delação premiada, tão em voga nos dias atuais. Mas rir de nós ela pode, isso pode! Poderíamos começar o ano seguindo regrinhas tão básicas, como estacionar nos lugares apropriados, dar seta, sentar na praça, somente compartilhar notícias autênticas, dizer bom dia, atravessar na faixa, e por aí vai. Como diz Dom Paulo Evaristo Arns, “esperança sempre”, ratificando a fé que professamos, seguindo a luz que embora passível de enfraquecer, se alimenta a todo dia com o sol que existe no coração dos que persistem no caminho do bem.

Parece piegas, mas mudemos esse parecer. Que no ano novo, que parece velho depois de doze minutos, nos dê mais consciência da nossa capacidade de melhora. Que possamos colaborar para a paz na Terra, esse planeta tão maltratado por nós, que é molhado por sangue todos os dias, sangue de pessoas que embora pareçam tão distantes de nós, estão nesse mesmo mundo. A paz começa em nós, em cada um, e a família é o lugar onde se testa a todo dia se estamos preparados para viver em paz, falando assim parece tão fácil, tão simples, mas não é não. Basta ouvirmos a nós mesmos para percebermos todas as dificuldades inerentes a esse convívio, o familiar, pois cada pessoa é única. Entendamos isso também. Eu cá de minha parte, desejo a todos um Ano Novo Feliz, que cada pessoa possa viver e conviver em paz com os demais, que LOUVEIRA seja regada com as melhores atitudes de cada um. Sendo assim, essa cidade tão encantadora dará sombra e frutos a todos os seus e acolherá a todos, que aqui vierem, passarem ou ficarem, com igual amor. Nessa passagem de ano, cada um terá a sua trilha sonora… eu tenho a minha, quem gostar, ouça…coluna-louveirando-ano-novo

Trilha Sonora / Sonho Impossível / Maria Bethânia

 

468 ad