GERAL: Desemprego continua em alta até o próximo ano

caged-empregoO IBGE divulgou pesquisa realizada em outubro que indica uma taxa de desemprego de 11,8%, superior 0,5 ponto percentual aos 11,3% do trimestre encerrado em junho que apontava 12 milhões de desempregados e uma população ocupada de 89,8 milhões de trabalhadores. Esses dados mostram que o clima de dificuldade para se conseguir um emprego vai continuar até o segundo trimestre de 2017.

SEGUNDO TRIMESTRE
Só a partir desse ponto é que a taxa de desocupação tende a se estabilizar, segundo o Centro de Pesquisa Econômica Aplicada do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas. Em São Paulo a taxa de desocupação alcançou 12,8%, acima da média nacional de 11,8%. Isso remete a uma piora do desemprego até o primeiro trimestre do próximo ano que só vai se estabilizar no segundo semestre, para então, no terceiro trimestre, começar a queda no desemprego.

INDÚSTRIA E SERVIÇOS
O desemprego recorde em São Paulo está relacionado com dispensas de trabalhadores da indústria e de serviços, já que esses setores estão altamente concentrados no estado que fica mais exposto à queda na atividade. Por outro lado, no terceiro trimestre de 2015 todos os estados registraram aumento na taxa de desemprego, sem exceções.

SUBUTILIZAÇÃO
Os maiores índices de subutilização da força de trabalho foram registrados na Bahia, com 34,1% e no Piauí, com 32,6%, enquanto que os menores foram encontrados em Santa Catarina, com 9,7%, e Mato Grosso com 13,2%.

468 ad