LOUVEIRA: Atleta louveirense de levantamento de peso mira Sul-Americano e Mundial em 2022

O atleta Maurício Marques, de 43 anos, único representante de LOUVEIRA nas modalidades de levantamento de peso Power Lifting (que inclui agachamento, supino e levantamento terra) e Strongman (na qual o competidor é desafiado a erguer pedras e outros objetos), ainda curte a conquista do bicampeonato brasileiro de Power Lifting (da GPC), em torneio ocorrido no último dia 7 em São Vicente, no litoral paulista.

Na tradução literal do inglês, “Power Lifting” significa “Levantamento de Força”.
Nascido em Bragança Paulista, ele vive há quatro décadas na “Terra da Videira” e mira a participação em dois importantes torneios em 2022, atrás de títulos internacionais: o Sul-Americano e o Mundial. Na disputa continental, Maurício pode carimbar o passaporte para o torneio global, mas para isso terá que ficar entre os três primeiros de sua categoria, a Master 1 (para esportistas de até 44 anos e com peso entre 110 kg e 120 kg).

Ele também é bicampeão paulista de Power Lifting (2019 e 2021), mesmos anos de seus títulos nacionais. “Voltarei a competir em JUNDIAÍ no dia 4 de setembro. Estou inscrito no Estadual da IPF, que acontecerá na Faculdade UniAnchieta, e espero subir no lugar mais alto do pódio mais uma vez”, disse Maurício.

Com 1,82 m de altura e 114 kg, o atleta busca aprimoramento constante nas duas modalidades. No caso do Power Lifting, melhorar a performance no agachamento, supino e levantamento terra inclui trabalhar a força e os cuidados com a musculatura, tendões e ligamentos, evitando lesões. No agachamento, o atleta põe a barra na altura dos ombros ou na parte superior das costas – com ou sem ajuda de um auxiliar central – e abaixa-se, flexionando joelhos e quadris até que a articulação do quadril esteja paralela ou abaixo da articulação dos joelhos; deve então reerguer-se e voltar à posição inicial.
Já no supino, o levantador, deitado num banco, retira a barra de um suporte, com ou sem ajuda, desce-a até que toque os músculos do peito e, em seguida, reergue-a até a extensão dos cotovelos, retornando-a para o suporte. O levantamento terra tem uma barra com pesos colocada no chão. O atleta abaixa-se, agarra a barra, e eleva-a até que as pernas e costas estejam retas e na posição vertical, com o peito levantado. A barra é, então, devolvida ao chão de uma forma controlada.

“Os praticantes do Power Lifting podem fazer três tentativas em cada prova para levantar a maior carga possível. O que tiver maior somatório de peso no total é o vencedor”, revela Maurício.

PANDEMIA
Por conta da Pandemia do Coronavírus, alguns torneios em que o morador de LOUVEIRA poderia se inscrever foram cancelados. Os que aconteceram vêm respeitando as medidas sanitárias indicadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). “Em 2021, não vou disputar o Sul-Americano da Argentina para focar nos treinamentos, mas estarei no torneio do ano que vem, buscando vaga no Mundial, que em 2020 não aconteceu”.

Maurício treina até três horas diárias, em três ou quatro dias por semana. A carga de atividades pode chegar a 12 horas semanais, sem contar o controle de peso e a alimentação, rica em carboidratos e proteínas. “Nesta semana, por exemplo, estou levantando pesos que somam 240 kg. Quando chega a época de competições, controlo a alimentação para estar no peso referente à minha categoria e, depois da pesagem oficial, como bastante para poder ter força e encarar bem disputa. Aí troco a fome por comida pela fome de medalhas”, brincou Maurício, que começou a levantar peso para vencer a obesidade. Chegou a pesar 140 kg.
Em 2022, está prevista a disputa da etapa brasileira do Arnold Classic, inclusa na programação do atleta louveirense de 43 anos.

O Arnold Classic tem este nome em homenagem ao ator e fisiculturista austro-americano Arnold Schwarzenegger. A etapa mundial ocorre em Columbus, no estado de Ohio (EUA).

(Texto:Paulo Behr – Redação FOLHANOTICIAS/Imagens:MaurícioMarques)

Author: Geraldo Maia 62

Share This Post On
468 ad