LOUVEIRA: Cidade tem a pior nota da região, em avaliação do ‘Portal Transparência’

REG_Transparência_Crédito Reprodução

Na segunda quinzena de dezembro de 2015, o Ministério Público Federal (MPF) divulgou o ranking da transparência das cidades brasileiras. O índice vai de 0 a 10 e mede a transparência das informações públicas de cada município.
A avaliação se baseou em questionário desenvolvido pela Ação nº 4/2015 da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro (Enccla), que selecionou as principais exigências legais e os itens considerados ‘boas práticas de transparência’.
Na relação de itens avaliados, figuram receita e despesa nos últimos seis meses; ferramentas de pesquisa de conteúdo; endereços e telefones das respectivas unidades e horários de atendimentos; íntegra dos editais de meio eletrônico, assim como de acompanhamento da solicitação.
Em destaque positivo, VALINHOS ficou na terceira posição da Região Metropolitana de Campinas (RMC), com a nota 6,9. No comparativo nacional, a cidade ocupa a 740ª colocação.
Já VINHEDO ficou em sétimo lugar na RMC, com a nota 6,5. Com relação à todas as cidades brasileiras, sua colocação é a de número 1.002.
LOUVEIRA foi a mais decepcionante das três cidades. A nota da cidade foi 2,2, menor que a média nacional, que foi de 3,92. Com essa nota, o município ficou com a posição 3.942 no ranking nacional.
Portanto, se levarmos em consideração os itens avaliados pelo MPF, fica claro que algo está faltando para melhorar a comunicação da Prefeitura louveirense com o cidadão. Sem esquecer que é essencial para uma Administração Municipal que se diz transparente, que todos os seus dados estejam disponíveis para consulta popular.
Basta entrar no portal da Prefeitura de LOUVEIRA, que foi alterado no ano passado e ver que o sistema mudou para pior. Não se localiza nenhum contrato, extrato de pagamentos e demais dados que deveriam estar à disposição do contribuinte, enquanto isso, a Prefeitura paga R$ 1.231.089 reais para a empresa Cebi, que deveria no mínimo, manter o sistema funcionando de forma adequada.
A FOLHA NOTÍCIAS enviou algumas perguntas para a Prefeitura louveirense indagando sobre o motivo de uma avaliação tão baixa, porém, até o fechamento desta matéria não houve resposta.

468 ad