LOUVEIRA: Coluna de João Batista – ‘Louveirando’

Pesquisa Válida


É chegado o tempo de votar aqui na nossa LOUVEIRA, desta vez para os cargos municipais, executivo e legislativo, que definitivamente são os mais próximos de nós, ainda mais por se tratar de uma cidade de porte pequeno, onde nos esbarramos a todo momento com os eleitos para os devidos cargos. O voto é a maneira mais democrática que temos para demonstrar a nossa vontade, soberana vontade, sobre o que almejamos para o nosso município no quesito administração. Então, cabe a cada um de nós a responsabilidade de uma escolha límpida e consciente, baseada, acredito eu, na capacidade que vemos nos nossos candidatos para governar a nossa cidade e nos representar.

A cidade nessa época fica um pouco diferente do cotidiano, pois os espaços são tomados por um movimento um tanto quanto dicotômico da rotina em épocas que não há eleições, votação. Há sem dúvida um emaranhado de cores, de conversas, de opiniões sobre todos os assuntos. Somos chamados de amigos com muita facilidade, muitas vezes por pessoas que nem nos cumprimentam em outras épocas, deixando claro aqui, que é sempre bom ser chamado de amigo, e, falando por mim, posso dizer que gosto e rio bastante com isso ou disso, não sei bem. Mas que é engraçado, lá isso é!

Em tese, o voto é secreto, então ninguém deveria saber em quem o outro vai votar, mas na prática não tenho certeza de que seja assim, o que, na minha opinião, esse pseudo secreto, causa um certo reboliço na população. Outro ponto engraçado em época de eleição. Cada gesto nosso, a meu ver, é um gesto político e, baseado nisso, não há como se dizer que não somos políticos, pois tudo ao nosso redor gira de acordo com a política que praticamos e, mesmo quando afirmamos que não, nossas atitudes muitas vezes desmentem essa nossa afirmação. Lembrando sempre que a política em si é uma coisa boa, uma coisa que move o mundo, mas nem sempre é praticada visando a elevação do ser humano, e é aí que mora o problema.
Agora, falando em pesquisa válida, cada pessoa tem a sua maneira de se chegar e votar em um determinado candidato, seja pelo resultado de uma pesquisa, seja por empatia, por simpatia, por conhecimento, por amizade ou até por indicação de outrem e, todas as maneiras são válidas, desde que conscientes, penso eu, e, pelo que observo, em LOUVEIRA aparentemente é assim também. Então uma pesquisa honesta, é uma pesquisa válida, aquela que valida o nosso voto, que nos faz ter confiança no que é referendado nas entrelinhas da pesquisa. No meu caso, vou acumulando durante o tempo as observações que faço durante os meus caminhares pela nossa cidade, com olhos e ouvidos bem abertos.
Ouço as pessoas, visito os lugares, muitas vezes os menos óbvios, converso com gente daqui e dali, e me prendo à sabedoria das opiniões dadas em horas e lugares dos mais improváveis. Com o passar do tempo, penso eu, adquirimos mecanismos que, como num peneirar de café, separam o que pode ser aproveitado para o café propriamente dito, do que pode virar esterco, e justamente por termos esse discernimento aproveitamos cada material para o seu determinado fim. Eita cafezinho bom! Na verdade, o que importa mesmo, além do delicioso e saboroso café, claro, é a consciência de ter agido de forma cidadã em data tão decisiva para todos nós.

Trilha Sonora / Pacato Cidadão / Skank

Autor: Geraldo Maia 62

Compartilhe esta notícia no
468 ad