LOUVEIRA: Coluna de João Batista – ‘Louveirando’

Pelas ruas da cidade

Pelas Ruas de LOUVEIRA há sempre um pessoal cuidando da limpeza das ruas, ou seja, limpando a sujeira que produzimos em larga escala. Também existem as sujeiras produzidas em menor escala, bem menor, aliás, pelas plantas e pelos animais. Foi num dia de manhã, mais precisamente no sábado próximo passado, véspera do dia das Mães que encontramos essas duas jovens mães exercendo seus ofícios, e foi uma visão muito especial, pela própria simbologia e significado de se manter em ordem uma cidade, ou pelo menos uma parte importantíssima de uma cidade; as ruas.

Em ordem pode significar muita coisa, e, neste caso significa mesmo, pois havia ordem e presteza nas ações das duas, e era notável o grau de entrega ao serviço, ora determinado a elas. Tinham, as duas, os rostos ainda bem jovens, saudáveis e corajosos para encararem mais um dia de serviço, para colocarem em prática com dedicação o que lhes fora dado como tarefa. Foram abordadas por nós com carinho e respeito, e, coube a nós explicar o motivo da abordagem. “Nós”, no caso, é uma referência a um grupo de pessoas que compõem a ALLA – Academia Louveirense de Letras e Artes, que organizou uma homenagem a essas jovens mães, entre outras mães entre nós, os louveirenses.

Elas ficaram muito emocionadas e agradecidas, por perceberem que havia empatia em nosso gesto, um gesto simples, é verdade, mas com todo o carinho tão necessário à consumação dos gestos simples. Consistiu este gesto em ler uma poesia, entregar um mimo e estar presente junto às pessoas que fazem diferença no nosso dia a dia, e que, muitas vezes passam despercebidas, tal qual o trabalho das mães que, por estarem sempre prontos, achamos que acontecem “do nada”, num passe de mágica. Tal qual o trabalho delas, que também muitas vezes nem notamos quando as ruas estão limpas, mas se estiverem com alguma sujeira, aí sim, notamos da maneira menos amável possível.

Bem, mas isso é uma outra história, de hoje é uma história feliz, traduzida pelas lágrimas nos rostos, pelos sorrisos amplos, pelos agradecimentos sinceros de ambas as partes e, pelos corações que dispararam num sábado de manhã em LOUVEIRA. Foi muito bonito e gratificante, um aprendizado para nós sobre aproximação e afastamento; sobre estar feliz com realizações tão simples. Então aqui cabe o meu, e, acredito que o de todo o pessoal da ALLA, por estarmos em uma cidade que nos une, mesmo que por alguns momentos com o que há de mais sagrado numa cidade, o seu povo. Agradecidos estamos, estou, a vocês Roseli Santos e Jaqueline Félix, que foram fotografadas de uma distância segura, sem máscaras.

Trilha Sonora / O Tempo Não Espera Ninguém / Michel Teló

Autor: Geraldo Maia 62

Compartilhe esta notícia no
468 ad