LOUVEIRA: Coluna de João Batista – Louveirando

Nesta data…

Quarta-feira passada ao fazer uma viagem para fora da minha cidade, essa linda cidade, a minha, a sua, a nossa LOUVEIRA, ao passar pela placa indicativa de limite de municípios me lembrei que amanhã, no caso quinta-feira, essa cidade fará aniversário, me pareceu no momento que seria 54 anos, acho que acertei e, sem dúvida cantaria parabéns de coração para quase tudo que LOUVEIRA proporciona. Mas também cantaria parabéns só “de boca” para umas poucas coisas, neste ponto acredito que não diferencio dos demais cidadãos louveirenses, tirando claro aquela porcentagem que reclama de tudo. Na volta vi a mesma placa e uma alegria imensa invadiu meu coração, estou em casa, pensei.

Esse pensamento passou pela minha cabeça e logo foi para um local do cérebro que armazena nossos pensamentos e que muitas vezes só retornam muito tempo depois. Neste caso foi diferente, pois de madrugada ao me levantar para tomar um pouco de água, que pego na bica aqui do Quebra, me veio novamente o pensamento sobre LOUVEIRA e seu aniversário. Chovia fino, temperatura amena e me deu vontade de comer algo, abri o armário da cozinha e vi um panetone que minha irmã Cidinha havia ganho, que me pareceu muito mais gostoso que na época do Natal. Não tive dúvida e lasquei um pedaço na boca, que delícia! Sem querer fazer propaganda, era da Bauducco que, não sei se é o melhor, mas é o que mais me lembra a minha infância.

Me sentei no quintal, um local que curto muito, onde têm flores, frutas e alguns animais, desde lesmas, minhocas, formigas e até gatos. Ali sentado de madrugada e sentindo o doce do panetone pensei que todos deveriam ter um momento de paz, um pedaço de terra e por que não, um pedaço de panetone a hora que quisesse, sem ser perturbado por quem ou o que quer que fosse. LOUVEIRA, a aniversariante do dia, pois já era dia 21 de março, deveria ou poderia, pela capacidade que tem, ser um pequeno paraíso, mas até uma cidade tão capacitada, depende de nós humanos para que seus atributos sejam mais evidenciados e, se cada um de nós fizer a sua parte, isso poderá acontecer, sem dúvida.

Gostar de um lugar, de uma cidade, não é somente elogiar, mas ao fazer uma crítica, ela deveria ser abalizada por fatos concretos, por algo que realmente seja grave, mas aí, entra de novo a consciência de cada pessoa e, para cada pessoa o realmente grave pode variar. Porém, têm coisas que são passíveis de críticas, eu por exemplo critico todo e qualquer maltrato aos animais, inclusive o uso de fogos de artifícios barulhentos para as comemorações humanas. Qualquer pessoa pode discordar disso, mas por favor, com argumentos plausíveis e não, aquelas respostas rasas, copiadas por puro modismo que, em muitos casos quem as usa nem sabe o significado das palavras que as compõem. O Facebook é mestre nisso. Eu sei, claro que os humanos são importantes.

Bem, tudo isso pode ser apenas palavras, mas a planta com folhas tão verdes do meu quintal é muito real e muito bonita, assim como essa cinquentona que amamos tanto. Parabéns LOUVEIRA! Voltei a dormir e sonhei com uma criança riscando o nome de LOUVEIRA numa daquelas lindas folhas verdes. Quero acordar para conferir.

Trilha Sonora / Via a Vida / Milionário e José Rico

 

468 ad