LOUVEIRA: Coluna de João Batista – ‘Louveirando’

ALLA em movimento

Em literatura as palavras têm vida e, conforme o tempo vai passando, ou se confirma isso ou as palavras adormecem e depois ressurgem com mais força ou, em alguns casos, infelizmente morrem. Pois quando se queima um livro, se censura um livro, se destrói um livro, eles, os livros, se ninguém guardou um exemplar bem escondidinho, tendem a morrer. Por isso e por todas as razões possíveis, um livro deve ser respeitado e, a melhor maneira de respeitá-lo, é lê-lo e ao terminar de ler, passar para alguém, para que ele atinja o maior número de leitores possível. Claro que há livros que a gente não empresta!

Isto posto, posso dizer que em nossa querida LOUVEIRA, há todo um movimento para que as artes de um modo geral, sejam valorizadas, pois a Prefeitura através das Secretarias ligadas às artes age de forma rigorosa e capacitada para que isso ocorra. Claro que aqui, embora eu valorize muito todas as formas de arte, puxo mais para a Literatura, a forma de arte em que me encaixo com mais afinco, com mais paixão. Então, diante desta paixão pelas letras, destaco a ‘V Coletânea’, Perfil Editora, contendo Contos, Crônicas, Poesias e Pinturas, lançada há pouco pela ALLA – Academia Louveirense de Letras e Artes, com o apoio total da atual administração municipal.

Usarei aqui, com o devido respeito, alguns fragmentos garimpados do Livro que ganhei no dia do lançamento e também, usarei somente “um dos nomes” do autor como referência, para assim completar um texto que eu adoraria ter criado. ”Adoro-te, por teu azul inconfundível (Ana); é tudo isso que importa (Oliveira); naquele momento, vinha-me com mais fervor o passado (Armando); esta joia rara que temos (Benedito); tudo teve início com a compra de um terreno (Miceli); esfrego as mãos, me permito um abraço (Tiokal); vou vivendo e deixando me levar (Cida); esta vida é uma viagem (Dárcio); meus dias hoje são de paz (Diacui); nem frouxo, nem apertado (Donizete) eu vim pensando pelo caminho (Eleide); quem sou nesta manhã? (Fátima); somos adolescentes, inocentes (Gerson); sem tanta pressa de seguir seu caminho (Giovani); mesmo com as mudanças (Júlia); sinto o cheiro do entardecer (Lourival); num quadro (Marlei); que mantém a árvore firme (Onides); pegar os atalhos é quase uma ordem (Robson); lembro das tardes de calor (Samuel); a beleza que os olhos enxergam nesses dias (Sandra); esse tributo para sempre em nosso coração (Sonia); tudo poderia ser diferente? (Tatiane); abalará as nossas mãos seguras! (Ubirajara).

Espero sim ter sido compreendido, espero também que os autores não briguem comigo e, aceito críticas, não gosto, mas aceito. Pois é meus leitores queridos, leiam muito, leiam sempre e sigam colocando a nossa LOUVEIRA num patamar cultural onde todos que por aqui chegarem, percebam que cultura, entre outros, é artigo de primeira. Continuemos a prestigiar a nossa Academia de Letras e Artes, comparecendo aos eventos e, num futuro próximo, frequentar a Sede desta prestigiada Academia, que é/será logo ali, ao lado da Estação Ferroviária.

Trilha Sonora / Non, je ne regretterien / Bibi Ferreira

Autor: Geraldo Maia 62

Compartilhe esta notícia no
468 ad