Warning: mysqli_set_charset(): Error executing query in /var/www/html/fn10.com.br/web/wp-includes/wp-db.php on line 792

LOUVEIRA: Coluna de Joo Batista – ‘Louveirando’

Por mais prosas entre amigos


Visitar amigos deveria ser um hbito natural, uns amigos nos visitam e ns visitamos uns amigos. Eu particularmente no recebo muitas visitas em minha casa, mais por no ter uma vida ordeira em relao aos horrios e afazeres, do que por no querer receber as pessoas, os amigos. J fui de ir muito casa de amigos, mas agora eu tambm vou bem menos, meu sof me impede, ainda mais agora que comprei um novo na Loja do Salim. Na verdade, adoro voleibol e quando tem jogo transmitido pela televiso, o sof se torna muito mais atraente. LOUVEIRA me presenteia com excelentes amigos e, pelo que percebo, tambm sou um bom amigo de muita gente.


Por falar em visitas e amigos, outro dia fomos, eu e Valdete Carlos, minha querida amiga, na casa dos queridos amigos Marlene Prado e Otaclio Prado, o Pin, moradores aqui de LOUVEIRA. Marlene, tenho certeza, daqui da cidade, quando ao Pin, ainda perguntarei num prximo encontro. Breve, espero! Marlene uma pessoa bonita, culta, desenvolta, acolhedora, direta e com um palavreado encantador, o Pin tambm possui quase todas essas qualidades, me permitam rir aqui. Ele entender o que eu quis dizer. Porm na questo de receptividade, os dois se igualam.


J faz algum tempo que o Pin me convidou para conhecer especialmente o seu cultivo de maracugina, fruta que se destaca entre as muitas plantas que integram o seu jardim. Alis, todo o seu quintal um lindo jardim, muito bem cuidado. Ficamos encantados e enquanto tomvamos um caf, por sinal, um delicioso caf preparado pelo Pin, divagamos sobre os idos tempos, quando a nossa LOUVEIRA, bem como todas as cidades, eram bem mais calmas, onde todos praticamente se conheciam. Posso afirmar que ningum lamentou pela modernidade, apenas constatamos que preciso acompanhar o tempo ou nos tornamos pessoas saudosistas e, em muitos casos, pessoas amargas, chatas mesmo.


A Maracugina um produto de ao sedativa, para uso oral, composto de princpios ativos vegetais, reconhecidamente neurossedativos. Os sinais de melhora nos sintomas podem ocorrer em um prazo varivel de dias, aps o incio do tratamento. Seu mdico a pessoa adequada para dar-lhe mais informaes sobre o tratamento; siga sempre suas orientaes. No devem ser utilizadas doses superiores s recomendadas. Informaes tiradas do site https://consultaremedios.com.br/maracugina/bula. Por tudo isso posso afirmar que a maracugina foi o destaque das conversas e das fotografias, das muitas fotografias que tirei com a minha cmera. Usei o termo maracugina, embora tenha encontrado tambm nas pesquisas que a maracugina o produto derivado da fruta maracuj.


Na residncia dos nossos anfitries reina uma paz, uma tranquilidade, uma falao to gostosa, que por um momento eu questionei se no era o efeito da maracugina, pode ser, no pode? Aps o delicioso caf falamos de poltica, olhamos fotos antigas e comemos umas maracuginas, cujo gosto bem parecido com o do maracuj. Na prxima visita digitalizarei, com a autorizao da Marlene, algumas fotos antigas ou histricas para colocar no site Lendas Urbanas, que j possui um belo acervo da nossa histria, imortalizado em fotografias. Agradeo de corao a bela acolhida, essa tarde to proveitosa que passamos juntos e espero que haja mais encontros assim. Meu carinho.


Trila Sonora / Colcha de Retalhos / Cascatinha e Inhana

Author: Geraldo Maia 62

Share This Post On