LOUVEIRA: Conselho de Segurança debate ‘queimadas’ e golpes pela internet

O Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) de LOUVEIRA, reuniu seus integrantes na quarta-feira (13), com os representantes de órgãos de segurança louveirenses. As reuniões ocorrem mensalmente em prédios público e desta vez foi na Associação Comercial e Empresarial de LOUVEIRA, com os setores público e privado, com o intuito de dar prosseguimento ao seu calendário mensal de trabalhos. A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo se fez representar pelo Cabo da Polícia Militar (PM) Júlio Cesar Bernardes, e do representante do Delegado de Polícia Titular, Paulo Sergio Stefani , chefe dos investigadores. Contou ainda com a presença do Comandante da Guarda Municipal, Jaílson Batista, bem como do vereador Luiz Rosa, representando a Câmara Municipal, do Tenente Alex Sandro Fragoso de Oliveira e Cabo Reginaldo Ferreira da Silva, ambos do Corpo de Bombeiros de VINHEDO, além do brigadista de incêndio, Gabriel Aldi da Silva.
Como de praxe, em suas considerações iniciais, o presidente do Conselho, Dimas Bessórnia, explicou o objetivo principal da entidade como sendo um órgão da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, atuando como uma ligação entre a sociedade civil e as forças de segurança pública da cidade. Sua composição é feita por cidadãos voluntários representantes das comunidades, objetivando servir como um catalisador entre o que se tem e o que se espera dos os órgãos de Segurança Pública e demais entidades do Poderes Públicos.
Uma vez mais, o destaque da reunião foi o problema de queimadas ilegais, ocorridas recentemente em diversos bairros da cidade, onde existe vasta área verde e constituída por sítios e chácaras. Informou-se que as queimadas no geral podem ser ocasionadas por acidente, mas também que são comuns as práticas ilegais de colocar fogo no mato seco, para fazer a limpeza do local. Nesta época de seca e ventos fortes, as chamas se alastram com mais rapidez, colocando a vida dos moradores de toda a região em risco. A Lei Municipal número 2.414/2015 proíbe a queimada indiscriminada em LOUVEIRA, e estabelece que mesmo não havendo o flagrante do incendiário, multas progressivas podem ser aplicadas ao proprietário do imóvel, responsáveis legais e contratuais ou a mandantes do ato. Caso consiga-se identificar o denunciado, o processo fica mais fácil de responsabilização.

A Polícia Civil comentou sobre os principais golpes ocorridos nos sites e vendas e anúncios de leilões virtuais. Atualmente, na região, o que está crescendo são os leiloes de veículos pela internet. As fraudes mais corriqueiras são da seguinte forma:

1) Conta falsa: Conta no sistema de leilão virtual, aberta com dados e documentos falsos, ofertando preços muito atrativos com o único intuito de receber o pagamento adiantado, em uma conta também aberta com documentos falsos, prometendo a conclusão do negócio de imediato;

2) Páginas adulteradas: Ofertas vantajosas publicadas utilizando falhas dos sistemas de leilão virtual, que fazem com que as ofertas apareçam como reais. Na realidade redirecionam a um sistema falso e paralelo ou a outro endereço onde é aplicado o golpe, solicitando via de regra o pagamento adiantado. Alerta-se que antes de se fazer qualquer transferência bancária, certificar-se da procedência desses sites e desconfiar de ofertas muito vantajosas.

A Policia Militar informou a realização de mais uma etapa de formação do curso do PROERD – Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência, onde desta vez foram certificados 200 alunos do 5º. ano das escolas municipais. No ano de 2019 esse programa abrangeu 701 alunos. A PM de LOUVEIRA explicou ainda que em parceria com a Polícia Civil e a Guarda Municipal, as operações especiais com viaturas e agentes distribuídos em locais estratégicos, sem datas e locais pré definidos, para executar rondas no sistema saturação, além de blitz e abordagens. Essas operações são realizadas há muito tempo e vão continuar por toda a região. Em consonância com a Lei do Silêncio, os veículos com som acima do permitido estão sendo autuados. Com a chegada de mais viaturas da PM, foi possível aumentar a fiscalização nas motos que trafegam com escapamentos adulterados e barulhentos, e que a partir de agora, também estão sendo abordadas e os condutores sendo autuados.

Para o presidente Bessornia, o objetivo da reunião foi alcançado. “Sempre em união entre as comunidades e as forças de segurança vamos buscar as respostas de forma honesta e propositivas aos possíveis problemas e solicitando providências a quem de direito. Estamos estreitando as parcerias e integração entre as forças de segurança, junto com o Conselho e dentro da comunidade. Temos estatísticas que mostram os números da diminuição da violência, basicamente calcada nas ações de prevenção. Enquanto pudermos retirar uma criança, um adolescente da criminalidade, ou mesmo evitar um crime, serão conquistas para sociedade. Contextualizando e indo um pouco além da reunião, falar sobre segurança é uma forma que se faz com muita expectativa e ao mesmo tempo com apreensão, pois o assunto deveria ser algo fechado em si mesmo, afinal a segurança é um dever do Estado, um direito e principalmente responsabilidade de todos nós cidadãos, conforme reza a nossa Constituição no seu artigo 144. Assim, se é uma responsabilidade nossa, todos deveríamos saber o que é segurança pública e com o que, quando e de que forma podemos contar com ela para a nossa proteção. Indaga-se, como alguém pode ser responsável por algo que pouco se interessa em conhecer ou o pouco que conhece, usa para alavancar críticas às vezes sem embasamento em fatos concretos. Informamos, trabalhamos e insistimos que como sociedade, temos que nos engajar na postura de participação, sinergismo e cordialidade, o que não é tão fácil assim nos dias atuais, convenhamos, e esse é um possível ônus de vivermos em sociedade” conclui o presidente do Conseg.

Autor: Geraldo Maia 62

Compartilhe esta notícia no
468 ad