LOUVEIRA: Em sessão tensa, vereadores denunciam falta de segurança na cidade, e se agridem

LOU_Camara LOU_27_10_15_Crédito Gegeu Maia (43)

Terça-feira, 27, a 19ª Sessão Ordinária da Câmara de LOUVEIRA começa, como sempre, atrasada, mas em um clima de aparente tranquilidade. Só que a tensão reinante no plenário foi logo explicitada na fala do vereador Alan Jacuí (SD) ao fazer a defesa de sua indicação, solicitando estudos no sentido de a Prefeitura realizar a instalação de câmeras de monitoramento sobre a passarela em frente ao restaurante Frango Assado por causa do aumento assustador de ocorrências criminosas no local.
“Na semana passada, a passarela do Bairro foi palco de várias ocorrências criminosas. Os nossos moradores, que vêm de Campinas, Jundiaí, São Paulo e região, estão sendo assaltados na passarela, daí a razão do nosso pedido de instalação de câmeras de monitoramento no local”, justifica Alan Jacuí. O seu colega Nilson Cruz (PROS), presidente da Casa, em discurso, fortaleceu o pedido do vereador, sugerindo que os boletins de ocorrência (BOs) fossem levados pelos edis até a promotora de Justiça. “Já não tem mais o que fazer, se pedimos segurança para a passarela dizem que não pode porque é na rodovia Anhanguera e não fazem nada porque é região que pertence ao Estado. Pedimos que o ônibus da Rápido Luxo entre no Bairro para dar segurança aos passageiros e a empresa continua sem permitir que isso seja feito. Só nos resta ir à promotora para ver se resolvemos esse problema”, sugere Nilson.
SEM PROTEÇÃO
Prosseguindo no tema da segurança, Alan Jacuí confirmou que foram quatro moradores assaltados, somente nesta semana. “Não sabemos se os crimes cresceram ou voltaram a acontecer, mas as ocorrências estão passando dos limites. Quatro pessoas assaltadas que perderam suas carteiras, celulares, documentos, dinheiro, tudo isso é muito triste. Queremos a instalação de câmeras ao redor da passarela, tanto em cima como em baixo, próximo ao desembarque dos passageiros do município. E peço aos colegas vereadores para levar essa indicação às últimas consequências porque muitos pais estão preocupados com seus filhos, com suas famílias que estão usando o transporte coletivo e desembarcam naquele local sem proteção alguma”, alerta Alan Jacuí.
VERGONHA
Outra questão abordada por Jacuí é a situação do velório municipal, que se encontra em situação precária, precisando ser melhorado e ampliado. “Como está é uma situação ridícula. Precisa de mais salas para acomodar as famílias. Passou da hora de LOUVEIRA, com 42 mil habitantes, rica como é, ter um moderno velório com salas amplas e assentos confortáveis”, justificou Jacuí.
Ainda sobre a questão da segurança, o vereador Nilson Cruz lamentou o fato de que onze vereadores não conseguem fazer o ônibus da Viação Lira, que pertence à Rápido Luxo, passar por dentro do bairro Santo Antonio. “Para mim é uma vergonha”, dispara Nilson. “Por outro lado, o bairro Amazonas está sendo finalmente contemplado com uma academia de ginástica, que o deputado Luiz Fernando (PP) doou para LOUVEIRA, e a Prefeitura garantiu que será montada no prazo de uma semana”, acredita Nilson.
TREM NO TRILHO
Já o vereador Reginaldo Lourençon (PSDB) preferiu falar do projeto da volta do trem de passageiros que ligaria São Paulo a Campinas passando por Jundiaí, LOUVEIRA, VINHEDO e VALINHOS, mas que agora se estenderá até a cidade de Americana. “Serão cinco linhas de trilhos, contemplando o trem de passageiros, ida e volta, o trem de carga, ida e volta, e um trem de média velocidade que sairá de Jundiaí até Campinas e Americana. O projeto está orçado em R$ 5 bilhões e deverá ficar pronto em 2020. Ao contrário do Trem de Alta Velocidade (TAV), que disputa com o transporte aéreo e não com o rodoviário, este projeto do governo de São Paulo traz um transporte decente, rápido, ecologicamente correto, com custo barato. E já está em andamento nas cidades por onde irá passar”, relata Lourençon.
“DISPENSAR GRÁVIDA É IMORAL”
Confirmando a tensão existente no ar desde o início da sessão, o vereador João Leite (PR) se reportou a um projeto que entrou em regime de urgência para ser votado por todos os vereadores. “Esperava uma explicação do vereador Estanislau Steck, que sempre pregou moralidade nesta Casa, mas foi imoral quando dispensou sua assessora com quatro meses de gravidez e com o marido desempregado. Sobrou para nós, por determinação da Justiça, pagarmos cerca de R$ 115 mil reais de inadenização. Isso é imoral!”, indignou-se João Leite.
CIDADE SITIADA
O vereador Estanislau Steck ignorou a agressão do colega João Leite e preferiu abrir a sua fala utilizando a palavra de Deus, a Bíblia, citando o Evangelho de João, cap. 8, versículo 7. “Quem não tiver pecado que atire a primeira pedra”. E seguiu adiante também abordando o sistema de segurança pública da cidade. “Nossa segurança pública está assustando as famílias e tirando o sono dos louveirenses. Queremos saber quantas câmeras temos, quantas estão funcionando, e o que falta para que o sistema de monitoramento seja instalado completamente. A cidade está sitiada por bandidos, e o Centro está sendo atacado por assaltantes, enquanto três viaturas Hilux da ROMU ficam paradas na garagem, quando poderiam estar fazendo ronda, trabalhando para dar mais segurança à população. No Jardim Niero, domingo à noite, teve tiroteio. Um morador pescou o corpo de uma pessoa no lago de um pesqueiro da cidade. Assaltos e roubos estão deixando a população aturdida. É assustador o que está acontecendo em nossa cidade na questão da segurança”, alerta Estanislau.
CAMPEÃ NACIONAL
A sessão também, como sempre, teve o seu momento de distenção, de festa, com as homenagens de praxe. Moções de congratulações homenageando os vereadores, os diretores de escolas e à atleta de karatê Mariana Oliveira Guaratini, que conquistou um inédito título para cidade, o de campeã nacional na categoria 55 Sub 21, realizado de 14 a 18 de outubro. O vereador Ailton Domingues (PROS) preferiu homenagear seus colegas pela passagem do ‘Dia do Vereador’, celebrada em 1º de outubro. Também a vereadora Professora Clarice (PTB) apresentou moção homenageando os diretores de escolas, cuja data comemorativa é 18 de outubro.
ALEGRIA, ALEGRIA
E a alegria foi maior com a aprovação de todos os projetos que entraram na pauta de votação. Entre os aprovados está o que supostamente irá permitir a regularização do loteamento Terra da Uva. Na verdade este projeto corrige uma lei do ano 2000 que não havia previsto o valor da alienação dos lotes do bairro Terra da Uva, bem como a transmissão da propriedade às famílias contempladas na época. A Prefeitura em suas justificativas diz que a Comissão de Estudos para regularização do loteamento definiu o valor de alienação dos lotes como o valor venal vigente do terreno, sem a edificação, que poderá ser pago em 60 parcelas iguais. Após a quitação, o proprietário poderá obter a escritura definitiva.

468 ad