LOUVEIRA: Ex-craque do handebol encanta alunos do Senar com palestra motivacional

A sede de LOUVEIRA do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), no Bairro Monterrey, foi palco de uma palestra especial, que encantou aos alunos presentes. O ex-craque da seleção brasileira de handebol Diogo Henrique de Souza (o conhecido ‘Boi’), hoje com 35 anos, falou de suas experiências de vida, incluindo a carreira de atleta internacional, e como ele superou o momento em que consumiu maconha. Passado este obstáculo, Boi contou como cultivar e manter a autoestima, acreditando em suas possibilidades e potencialidades, reconhecer os próprios valores, considerar as dificuldades pessoais como oportunidades de desenvolvimento e cultivar uma visão positiva de si mesmo.

“A cada 15 dias temos palestras com diversos profissionais. Nessa do dia 30 de abril, o Diogo mostrou como o aluno pode valorizar suas qualidades, refletir sobre as escolhas que faz e considerar as limitações autoimpostas”, disse Paula Cristina Ferreira, professora voluntária do Senar.

‘Boi’ é jundiaiense de nascimento e costuma fazer este tipo de palestra em escolas da Região. “Falei para os alunos do Senar como é difícil abrir mão de várias coisas de que gosta, como o contato com a família, para correr atrás do seu sonho. Valorizei ainda a importância de ter os professores como orientadores na vida de uma forma geral”, revelou.

Para o ex-atleta, o uso de maconha atrapalhou seus planos e Diogo ‘Boi’ contou com a fé em Deus e o apoio da esposa para superar a fase ruim. “Depois disso, fiz duas faculdades e criei um trabalho social do qual sou voluntário para ajudar 30 crianças que moram no Jardim Tamoio, em Jundiaí. Compartilho com os presentes aos eventos que eles podem melhorar mesmo com os riscos que a vida oferece. A droga é um destes riscos, assim como os problemas familiares”, alertou.

Diogo finalizou seu bate papo com os alunos do Senar enaltecendo que a vida exige esforços e, muitas vezes, também abrir mão do que se gosta bastante. “Saí de casa novo, com 16 anos, e venci as dificuldades. Deixo muito claro aos jovens com quem converso que eles devem se afastar daqueles que usam drogas”, repetiu, valorizando a bagagem esportiva de mais de dez títulos brasileiros, cinco paulistas e um inédito oitavo lugar no Mundial Junior de Handebol de 2003 pela seleção brasileira, que jogou em casa.

Author: Geraldo Maia 62

Share This Post On
468 ad