LOUVEIRA: Guardas Municipais andam com coletes vencidos. Sindicato vai denunciar prefeito!

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de LOUVEIRA, Valteni Santos, em entrevista exclusiva à FOLHA NOTÍCIAS, declarou hoje à tarde que o Departamento Jurídico do Sindicato está mobilizado para entrar no Ministério Público (MP) com uma denúncia contra a Prefeitura de LOUVEIRA, em especial o prefeito Junior Finamore, por ter deixado que expirasse o prazo de validade dos coletes a prova de bala utilizados pela Guarda Municipal de LOUVEIRA.
O presidente Santos explicou que o prazo de validade dos coletes é de cinco anos, mas a Prefeitura não se atentou ao fato e deixou que o prazo fosse vencido, expondo grande risco aos guardas. “São 96 coletes de uso individual. Como a Prefeitura diz que ainda tem 31 coletes dentro do prazo de validade, vai então fazer uma espécie de ‘rodízio’, ou remanejamento entre os guardas para suprir a falta dos novos coletes. É obrigação do prefeito fazer a manutenção dos coletes que protegem o tórax do guarda municipal. É uma vergonha, uma Prefeitura com tanto dinheiro, economizar na segurança dos oficiais que protegem a população”.

AMEAÇAS
“A Prefeitura alega que não atentou ao prazo e deixou vencer. Isso é um descaso total, uma falta de respeito para com o trabalho do guarda municipal que arrisca a sua vida 24 horas para fazer a segurança da cidade e deixar a população tranquila. Agora quer consertar o seu erro obrigando o guarda a fazer ‘rodízio’ de um equipamento que é de uso pessoal. ‘Rodízio’ como? Quem vai ser escolhido para usar o colete vencido e quem vai usar o novo? É um absurdo. E para piorar estão ameaçando punir os guardas que não aderirem ao ‘rodízio’ com processo administrativo. É assim que o prefeito de LOUVEIRA trabalha, ameaçando e coagindo os funcionários públicos”, lamenta Santos.

SERVIDOR PENALIZADO
Mas não é só o servidor público que é penalizado pela má administração que atua na cidade. A Prefeitura culpa o Exército Brasileiro pela demora de entrega dos novos coletes. “Realmente, o colete é fornecido pelo exército, que libera o uso do equipamento que é vital para o trabalho da Guarda Municipal. Mas a concessão e a manutenção dos coletes é de obrigação da Prefeitura. Então, o prefeito não pode penalizar os guardas com o uso coletivo dos coletes e assim paguem o ônus de uma má administração. Foi o prefeito que se atrasou. Ele sabia que os coletes estavam por vencer. Deveria se planejar. É um retrocesso da Administração Pública culpar o funcionário e exigir que pague pelos erros cometidos pela própria Administração”, alerta Valteni Santos.

RETALIAÇÃO?
“Vejo isso como uma retaliação à não aprovação do projeto de cargos e salários da Guarda Municipal que o prefeito enviou à Câmara Municipal, mas que era bastante prejudicial aos interesses da Guarda. Desse modo o prefeito vê o servidor público como seu pior inimigo. A finalidade dele é reduzir a Corporação a pó. Graças a Deus que alguns vereadores estão mudando de atitude e funcionado não só em seu interesse, mas também do povo louveirense. Parece que o prefeito gostaria de substituir o funcionário público por robôs para que não pensassem e apenas obedecessem às suas ordens. Mas como se trata de um ser humano a Prefeitura tem obrigação de preservar esses trabalhadores que colocam a vida em risco a todo momento”, observa Santos, que vai mais longe nas afirmações. “Não é o prefeito que enfrenta a criminalidade, mas devia fornecer as ferramentas adequadas para que os guardas possam fazer esse serviço da melhor maneira possível. Mas essas ferramentas precisam estar em condição de uso e não com o prazo de validade vencido. Assim como está o prazo de validade dessa Administração que ninguém mais aguenta suportar, por tanta barbaridade praticada por quem deveria servir o melhor para a população”, afirma o presidente do Sindicato, Valteni Santos.

468 ad