LOUVEIRA: Heróis da PM são homenageados na Câmara Municipal. Vereadores evitam polêmica

A vereadora Priscila Cinthia Finamore de Gaspari (PRB) apresentou na segunda sessão ordinária realizada ontem, 21, às 18h30, uma Moção de Congratulações e Aplausos pelo trabalho e empenho dos policiais militares soldados Leandro Valverde e Fernandes Massaranduba de Lacerda pelo fato de, na terça-feira (7), por volta das 11h, terem salvado a vida de uma bebê de 2 meses de idade, a pequena Eliza. A dupla de heróis estava em patrulhamento pelo bairro Santo Antônio, em LOUVEIRA, quando se deparou com duas mulheres angustiadas (mãe e avó), pedindo ajuda.

MANOBRAS SALVADORAS
A mãe, Isis, segurava a bebê de dois meses, que acabara de ser amamentada, e estava engasgada com o leite. De imediato, a equipe pegou a criança no colo, realizando manobras para liberar as vias aéreas da bebezinha, ação que resultou bem sucedida porque a pequena Eliza voltou a respirar. A criança foi então socorrida ao P.A. do bairro Santo Antônio, onde foi prontamente atendida com muito carinho pela enfermeira Dionísia, sendo medicada e liberada.

HERÓIS A TODA PROVA
Esta equipe formada por Valverde e Massaranduba não poupa esforços quando se trata de salvar vidas de todo tipo. Os policiais também resgataram um cãozinho que estava sendo levado pelas águas do rio Capivari em LOUVEIRA. A FOLHA NOTÍCIAS conversou com os policiais militares sobre os dois casos e ambos afirmaram que se tratava de estar no lugar certo, na hora certa.

“Foi muito gratificante para nós ajudar a bebê Eliza, assim como resgatar o cachorro no rio. É uma sensação de dever cumprido, de poder desempenhar nossa missão de servir e proteger a população de bem”, garante o Sd. PM Valverde.

CÂNCER INFANTIL
Já o vereador Nilson Cruz (PSD) apresentou uma Moção de Aplausos e Congratulações pela passagem do Dia Internacional de Luta contra o câncer infantil, que ocorre cada dia 15 de fevereiro. Para receber a homenagem esteve presente à sessão a famosa dra. Silvia Brandalise, presidente voluntária da Diretoria Executiva do Centro Infantil do Hospital Domingos Boldrini, em Campinas. A sua xará, dra. Silvia Regina, de LOUVEIRA, e o dr. Dario Figueiredo, da Câmara Municipal, fizeram companhia à ilustre personalidade na área VIP da Câmara Municipal de LOUVEIRA. Pena que o secretário Municipal da Saúde, José Carlos Bellussi, por um dever de obediência inusitado, não pode obsequiar, recebendo, em nome do governo Municipal, com elegância e galhardia, a tão ilustre médica e cientista da pediatria brasileira

Outra importante moção foi apresentada pelo vereador Agostinho Tardivelli (PSDB), de aplausos pelos cinquenta anos de criação da Diocese de Jundiaí, da qual pertence LOUVEIRA.

ADEUS AO ‘PRACINHA’
Foi apresentado também pela Casa de Leis um requerimento de pêsames pelo falecimento do senhor Alberto Biagio, ao 97 anos, sendo dado ciência à família enlutada. O falecimento ocorreu no último domingo,19, e o corpo do louveirense foi sepultado na segunda-feira, 20, no Cemitério Municipal de LOUVEIRA, com honras militares, toque de corneta e salva de tiros. O senhor Alberto era um dos últimos ‘pracinhas’ da Força Expedicionária Brasileira e tinha cadeira de honra ao mérito militar no 12º Grupo de Artilharia de Campanha ‘GAC’ de Jundiaí.

SEM POLÊMICA
Parece que algo estranho aconteceu com a maioria dos vereadores de LOUVEIRA na segunda sessão deste ano. Até a véspera da sessão eles deixavam transparecer que votariam a favor dos projetos de resolução (criados, inclusive, por alguns vereadores) apresentados pela Mesa Diretora, cujo presidente, Marquinhos do Leite (PTB) estava empenhado na aprovação. Um dos projetos, e o que mais gerou polêmica, foi o que concedia um aumento no valor do cartão alimentação da Câmara, que hoje é de R$ 400, e com o aumento passaria a valer R$ 600. A polêmica girou em torno de que os funcionários da Câmara são contemplados com uma cozinha própria que fornece refeições diariamente, mas, mesmo assim o cartão alimentação de R$ 600 continuaria sendo fornecido. Segundo alguns funcionários, refeição é comida preparada, cozida, enquanto que alimentação é alimento não cozido, não processado, e escolhido nos mercados conforme as necessidades de cada funcionário. Colocado em votação, o projeto foi rejeitado por onze votos a um, este do vereador Rodrigão (PSD).

AUXÍLIO ESCOLAR
Já o projeto que institui na Câmara Municipal o auxílio escolar no valor de 20% do salário mínimo vigente, como auxílio por filho que o servidor tenha matriculado na escola, os que estudam em LOUVEIRA e os que residem em outras cidades, foi rejeitado por todos os vereadores. Na justificativa de alguns, LOUVEIRA já dispõe de um excelente serviço público de ensino. Outro projeto rejeitado, mas por sete votos contra e cinco a favor, foi o que dispõe sobre a estrutura administrativa da Câmara Municipal, criação, atribuições de diretorias, e cargos públicos em geral.

BUROCRACIA APROVADA
Cinco outros projetos relacionados com o trabalho burocrático interno da Câmara Municipal, como transparência e acesso às informações, identificação da Escola do Legislativo ‘Comendador Walter Maszzali’, regulamentação das comissões internas e trabalhos institucionais, prêmio por assiduidade ao servidor e alteração nos vencimentos dos cargos de provimento efetivo e de provimento em comissão foram todos aprovados por unanimidade.

O QUÊ OU QUANTO?
Fica então a pergunta: como foi possível os vereadores mudarem de última hora o seu voto sobre projetos criados pelos próprios vereadores. Segundo o presidente Marquinhos do Leite algo aconteceu na reunião às pressas convocada pelo prefeito Júnior Finamore para discutir os referidos projetos. Segundo um funcionário que não quis se identificar, não foi o que ocorreu na reunião com o prefeito, mas ‘quanto’ ocorreu. Segue então o ditado popular que diz: ‘Em terra que rola muito dinheiro, fica fácil obter mercadoria barata’.

 

468 ad