LOUVEIRA: Prefeito Junior é acusado de fraude na eleição para o Conselho de Saúde

O louveirense Clóvis Almeida, entrou no Ministério Público (MP) com uma representação contra o prefeito Júnior Finamore (PTB), bem como contra o secretário de Saúde do município, José Carlos Belussi e contra o presidente do Conselho Municipal de Saúde, na época dos fatos, o sr. João Bosco Souza, em razão da recente eleição do Conselho Municipal da Saúde de LOUVEIRA alegando total falta de transparência porque não houve ampla publicação do edital com sua fixação no Mural da Câmara, colocação de faixas ou banners em locais públicos com pelo menos 15 dias de antecedência, publicação na Imprensa Oficial, divulgação no site da Prefeitura e/ou nas redes sociais, bem como nos jornais que fazem sistematicamente propaganda de obras e fatos positivos da atual administração.

‘COLINHA’ DOS APOIADOS
Em entrevista exclusiva para a FOLHA NOTÍCIAS, Clóvis Almeida afirmou para a reportagem que toda a família do prefeito Júnior Finamore, bem como seus comparsas, foi mobilizada no dia da eleição para o Conselho Municipal de Saúde a fim de obrigar os cargos comissionados a comparecerem na votação, quando recebiam uma ‘colinha’ com os nomes ‘apoiados’ pelo prefeito, de modo que votaram prefeito, esposa, filhos, sobrinhos, irmãs, secretários, vice-prefeita, funcionários concursados com FG (Função Gratificada). “Tudo isso é muito fácil de comprovar, bastando conferir a lista de votação com nome e assinatura do votante, sendo que os mais votados, ‘coincidentemente’ são os mesmos que constam na ‘colinha’ (o documento, e demais provas, estão anexados ao processo). “Tinha também casais como candidatos (o que é proibido por lei) e a esposa do secretário da Cultura, Maurício Carrasco, que acabou sendo bem votada pelos cargos de confiança. Isso é vergonhoso para o Finamore, que quer se perpetuar no poder a qualquer custo, ou melhor, às custas do povo de LOUVEIRA!”, indigna-se Clóvis Almeida.

HOUVE FRAUDE?
Segundo Clóvis Almeida, como não houve divulgação da eleição, tudo foi feito às ‘escondidas’ para que ninguém soubesse. “Só os amigos, parentes de assessores e de secretários foram informados e saíram como candidatos. Nós não recebemos nenhuma comunicação e isso tinha que ser feito para todo mundo, e não apenas para os ‘chegados’ do prefeito Finamore. Cabe então a pergunta: por que o senhor Finamore escondeu da população essa eleição? Qual é o esquema de João Bosco? Em razão disso queremos que o MP anule o pleito e faça outra eleição, com ampla divulgação prévia que atinja a maioria da população”, exige Clóvis, que explicou o valor do Conselho: “As contas da Saúde, os projetos, as contratações, a compra de serviços da Santa Casa, e a fiscalização dos serviços de Saúde passam pelo Conselho. Se o Conselho de Saúde não for composto por membros do povo, e do funcionalismo público, não vai ter sua serventia. Se o prefeito tem o controle do Conselho de Saúde, ele faz o que quer, manda e desmanda, tira  põe dinheiro. Veja o que o senhor Hélio Braz, secretário de Governo fez. Cortou verba de Saúde para por em festas. E o atual presidente, João Bosco, se calou. Não podemos deixar isso acontecer”,  supõe Clóvis Almeida.
“Não comunicar amplamente a eleição é algo muito grave. Na realidade os indícios de que houve fraude na eleição são visíveis e que por isso precisa ser anulada. Porque Finamore deve estar escondendo algo de muito errado”, completou.
“Esperamos que o Ministério Público dê ganho de causa à população e haja nova eleição, de modo que o prefeito pare de administrar a cidade do jeito que ele faz escondendo seus atos da população. Na verdade o prefeito Finamore está à frente de um grupo milionário que faz negócios com a Prefeitura que virou um balcão de negócios para contemplar esse grupo financeiro e não a população de LOUVEIRA. Finamore tem um agente de negócios imobiliários dentro do seu Gabinete. O Hélio Braz defende quais interesses? Do grupo financeiro que apoia ou da população? Essa prática pode até ser legal, mas é imoral e antiética. Enquanto a cidade vive abandonada no que lhe é mais necessário”, observou Clóvis.
O Ministério Público iniciou a investigação da denúncia nesta semana, e pode sugerir o cancelamento das eleições do Conselho de Saúde.

O atual presidente do Conselho de Saúde de LOUVEIRA, João Bosco, fugiu, ao ver a equipe de reportagem da FOLHA chegando na Secretaria de Saúde para entrevistá-lo. Ele não foi mais encontrado para dar declarações do seu envolvimento no processo. o Gabinete do Prefeito não respondeu às questões sobre a possível fraude cometida pelo chefe do Executivo. Já o secretário de Governo, Hélio Braz, disse que “até hoje não cometeu crime algum e tudo é intriga da oposição”.

 

 

468 ad