LOUVEIRA: Vacinas contra HPV e Meningite estão no calendário de vacinação para adolescentes

Já estão disponíveis as vacinas contra HPV e Meningite, para adolescentes, meninos e meninas entre 12 e 13 anos, nas Unidade Básica de Saúde de LOUVEIRA.

HPV
A vacina contra o o papilomavírus humano (HPV) já faz parte do Programa Nacional de Imunizações desde 2014 e atualmente é indicada para meninas de 9 a 13 anos. A partir deste ano, também serão incluídas as meninas que chegaram aos 14 anos sem tomar a vacina ou que não completaram as duas doses. Já os meninos, poderão receber a imunização meninos de 12 a 13 anos. O esquema vacinal será de duas doses, com seis meses de intervalo entre elas.

A inclusão segue a recomendação de sociedades médicas brasileiras como a Sociedade Brasileira de Imunizações (Sbim), Sociedade Brasileira de Pediatria e Sociedade Brasileira de Obstetrícia e Ginecologia e veio após estudos mostrarem que a inclusão dos meninos no público-alvo da vacinação contra a doença contribui para a diminuição do câncer de colo do útero e vulva das mulheres, já que isso possibilita a diminuição da circulação do vírus à população, o que beneficia o público feminino. O HPV é a principal causa de câncer de colo do útero. Além disso, os próprios meninos serão beneficiados, já que a vacina protege contra câncer de pênis, garganta, ânus e verrugas genitais.

Já para os que vivem com HIV, o esquema é de três doses, com intervalo de dois e seis meses, respectivamente. Nesses casos, é necessário apresentar prescrição médica. Os interessados podem comparecer na Unidade Básica de Saúde durante todo o ano para ficar imune ao vírus.

MENINGITE
Também está disponível para adolescentes de 12 a 13 anos, de ambos os sexos, a imunização contra Meningite C. A estratégia busca reforçar a eficácia da imunização já aplicada em crianças de 3, 5 e 12 meses, mas que, com o passar do tempo, pode perder parte de sua proteção e também tem efeito protetor de imunidade rebanho (quando há proteção indireta de pessoas não vacinadas em razão da diminuição da circulação do vírus).

A meningite é uma doença considerada endêmica no Brasil e o subtipo C é o mais frequente, representando cerca de 60% a 70% dos casos de meningite no Brasil.

468 ad