REGIÃO: Hoje é Dia do Biscoito. Pesquisa aponta os tipos mais consumidos em São Paulo

No café da manhã, nos lanches intermediários e até mesmo como acompanhamento das refeições principais, os biscoitos (ou bolachas) estão presentes em 99,6% dos lares das famílias residentes no Estado de São Paulo. A popularidade deste alimento fez com que ele ganhasse uma data no calendário especialmente em sua homenagem: 20 de julho é o Dia do Biscoito.

A ABIMAPI (Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados) encomendou para a Kantar WorldPanel uma pesquisa sobre as diferenças entre as preferências e os perfis dos consumidores de biscoito no país.

A região metropolitana de São Paulo é responsável pelo consumo de mais de 186 mil toneladas deste alimento ao ano; no interior do estado, este número ultrapassa 174 mil toneladas. De acordo com o levantamento, 33% total de biscoitos consumidos em 2018 na Grande São Paulo foram do tipo seco doce, como Maria, Maisena e Rosquinhas. Em segundo lugar ficaram os salgados tradicionais (água e sal/cream cracker), com 30,7%, seguidos pelos recheados, com 26,5%. No interior do estado o cenário foi 40% do tipo seco doce e, praticamente empatados, os salgados tradicionais, com 25,4%, e os recheados, com 25,3%.

Assim como no ano anterior, em 2019 o ranking nacional de compras do segmento apresentado pela consultoria apontou que Norte e Nordeste formam a macrorregião que apresentou maior índice de compra, responsáveis por 39,1% do consumo de biscoitos no país. Em seguida aparecem Leste e interior do Rio de Janeiro (13,9%), Sul (11,4%), Grande São Paulo (10,1%), Interior de São Paulo (9,6%), Centro-Oeste (8,7%) e, por fim, a Grande Rio de Janeiro (7,2%).

O estudo analisou uma mostra de 11.300 lares que representam um universo de 53 milhões de famílias espalhadas por sete macrorregiões brasileiras. CURIOSIDADES1) Segundo a ABIMAPI, Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados, existem hoje no mercado mais de 200 tipos de biscoito.

2) Biscoito ou bolacha? Ambas as expressões estão corretas.Ambos são produtos derivados da farinha, com coberturas, recheios, formatos e texturas diversas. A diferença está nas regiões em que os termos são usados. Em estados como SP, RS, PR, SC e AP, predomina o uso “bolacha”. Já nos estados do RJ, PE, BA e CE, é usado “biscoito”.

3) Cream cracker e água e sal: tem diferença? Na verdade, não. O que realmente muda de um tipo para o outro é a quantidade de gordura, maior no cream cracker, tornando a versão mais cremosa e crocante.

) No ano de 2001 a marca Adria lançou as Tortinhas, conceito inédito no mercado de biscoito recheado com uma casquinha extremamente crocante e formato irreverente: foi o primeiro biscoito recheado sem tampa. Com esse lançamento a marca ingressou integralmente na categoria de biscoitos e criou um novo segmento de mercado (Tortinhas).

5) Os biscoitos tiveram início no Egito Antigo. Eles eram utilizados como oferendas aos deuses em troca de chuvas, para que assim, o solo sempre permanecesse fértil.

6) O termo bolacha vem de “bolo” (do latim “bulla”, que significa objeto esférico) com o sufixo “acha”, indicando diminutivo. A palavra holandesa “koekje” tem o mesmo significado, o que deu origem aos termos “cookie” e “cracker”.

7) Os furinhos do biscoito água e sal são estratégicos. Eles deixam o vapor escapar durante o processo de cozimento. Além disso, são responsáveis pela crocância e pelo formato achatado. A quantidade e posição dos furos irão depender do formato, tamanho e posição. Por exemplo, furos muito juntos podem gerar um biscoito mais duro e seco. Buraquinhos mais espaçados provocam bolhas na superfície do biscoito.

(Fontes:Adria/ABIMAPI)

Autor: Geraldo Maia 62

Compartilhe esta notícia no
468 ad