REGIÃO:Cidadãos podem ser imunizados da Covid em cidades diferentes, mas com a mesma marca de vacina

Muitas pessoas, incluindo profissionais da Saúde, desconhecem o fato de um cidadão poder ser vacinado contra a Covid 19, desde que com a mesma marca de vacina (CoronaVac ou AstraZeneca), em uma cidade diferente da que reside. Com o Brasil em franco processo de imunização, é importante esclarecer este fato e reforçar que os cidadãos devem ficar atentos à faixa etária dos indivíduos que estão sendo vacinados em seu município.


Profissionais da Saúde, idosos, agentes de segurança já estão recebendo a proteção contra o Coronavírus no estado de São Paulo. Em breve, será a vez de professores e outros profissionais da Educação.
A questão da cidade em que as pessoas são imunizadas ganhou ainda mais destaque na Região depois que o farmacêutico e pesquisador Gustavo Alves Andrade dos Santos, nascido em São Paulo e morador de LOUVEIRA há 12 anos, foi vacinado com a primeira dose na Capital esta semana, depois de tentar o procedimento na cidade em que reside. A assessoria de imprensa do Governo de São Paulo informou que o Sistema Único de Saúde (SUS) é universal e possui caráter regionalizado, sobretudo quando envolve atendimento de alta complexidade ou situações específicas, como é o caso da vacinação. “Cidadãos de qualquer município podem receber assistência em serviços de referência da Rede Pública de Saúde”, finalizou a nota.


Na última segunda-feira (5), Gustavo foi ao Centro de Saúde Dra. Lucilene Mosca Melin, no bairro Vila Nova, para tentar ser imunizado e ouviu da servidora que o atendeu que não poderia ser vacinado lá. Segundo ela, o farmacêutico teria que procurar uma unidade em São Paulo por trabalhar na Capital. Gustavo é consultor em três hospitais da Capital.


“Achei isso estranho, pois tal orientação contraria a recomendação de vacinação dos profissionais da Saúde”, revelou. “O local tinha vacinas e, se eu ficasse doente, ficaria isolado no município em que moro e precisaria de um equipamento de saúde e de profissionais de LOUVEIRA”, emendou.
Na terça-feira (6), o farmacêutico e pesquisador foi procurado pela unidade e a enfermeira lhe disse que deveria comparecer ao Posto de Saúde para ser vacinado. “Meia hora depois, recebi outro telefonema no qual ouvi que não iria mais ser imunizado em LOUVEIRA”, completou Gustavo.


O farmacêutico acabou vacinado na quarta-feira (7) numa Unidade Básica de Saúde (UBS) próxima do Metrô São Judas, no bairro da Saúde, em São Paulo.

PREFEITURA
A Prefeitura de LOUVEIRA disse que a Secretaria de Saúde tem feito reuniões periódicas com suas equipes profissionais, no sentido de orientar e atualizar a todos e garantir atendimento de qualidade para a população. Além disso, a Pasta tem utilizado ferramentas digitais, como e-mail e WhatsApp, para distribuir as notas técnicas e informações atualizadas que recebe dos governos Federal e Estadual sobre procedimentos da vacinação e orientações de diversos aspectos aos profissionais envolvidos no processo de imunização.
Ainda de acordo com a nota da Prefeitura, devido ao número reduzido de doses de vacina que tem recebido, a Secretaria de Saúde tem capacidade de atender, neste momento, apenas os profissionais que estão atuando na linha de frente do combate à pandemia nos hospitais e no Pronto-Atendimento da cidade. A expectativa é ampliar esse atendimento assim que houver doses suficientes para isso.

(Texto: Paulo Behr – Redação FOLHANOTICIAS/ImagemIlustrativa)

468 ad