VALINHOS: Aumento do subsídio dos vereadores gera revolta na população

Camara_Crédito CMVal

Na última sessão da Câmara de VALINHOS do primeiro semestre de 2016, realizada em  28 de junho, os vereadores aprovaram um projeto polêmico, que fixa o aumento do salário dos edis, a partir de janeiro de 2017, em R$ 8,9 mil. A alta representa aproximadamente 80% de acréscimo aos R$ 4.953,62 de salário recebidos hoje pelos parlamentares.

O reajuste deveria ter acontecido em 2012, quando os vereadores aprovaram um projeto de lei que já estipulava o aumento. Na ocasião, o Tribunal de Justiça barrou a ação por uma questão técnica. Segundo o site da Câmara, o subsídio em VALINHOS poderia ser de até R$ 12.661,12.

Por fim, o projeto foi aprovado e, a partir de 2017, os edis receberão R$ 8,9 mil de subsídio. A população valinhense, porém, não recebeu a notícia com bons olhos. Isso porque diversos pedidos de melhorias foram reprovados com a alegação de que não havia dinheiro no município, por conta da crise econômica que o país está passando.

Reclamações nas redes

Como não poderia deixar de ser, as redes sociais foram o principal canal pelo qual a população manifestou seu repúdio ao ocorrido. As reclamações tratam do gasto com o Legislativo em detrimento de outras áreas que também carecem de investimento.

Numa das postagens, o internauta trata sobre as Auxiliares de Desenvolvimento Infantil (ADIs), que fizeram uma paralisação em frente à Prefeitura em busca de aumento no vale-alimentação, que na época era de R$ 80, e acabaram tendo os dias de manifestação descontados de suas folhas de pagamento. “As ADIs fizeram greve, pois elas ganham pouco mais de R$ 1 mil e um VR de R$ 80 mensal, aproximadamente 6 pacotes de feijão! Não conseguiram nada, a não ser o desconto dos salários, pois a cidade está passando por dificuldades. Vereadores receberam um ajuste de R$ 4 mil cada e nem precisaram fazer greve! Alguém explica?”, questiona o valinhense.

Outra usuária da rede disse estar sentindo ‘nojo’ da aprovação e das justificavas dadas pelos vereadores para o aumento. “Sobre o ‘projeto’ de 80% nos salários dos vereadores? Não sei se sinto mais nojo da aprovação dos mesmos frente a tudo o que vivemos de errado na nossa cidade ou com a defesa que eles fazem do aumento! Santo Deus, quando teremos representantes dos interesses e necessidades do povo?”, escreve.

Também não foram poucos os pedidos para que nenhum dos atuais vereadores sejam eleitos no pleito do outubro. “Vamos ver quantos vereadores se reelegem. Depois desse aumento, provaram ser burros, mal assessorados e sem qualquer estratégia política. Um aumento destes a poucos meses das eleições. O povo não vai reeleger nenhum deles”, afirma este internauta.

Vereadores explicam caso

A FOLHA NOTÍCIAS entrou em contato com os vereadores, uma vez que o projeto foi aprovado por unanimidade, para saber as justificativas dos votos e como encaram a repercussão junta à população.

Porém, até o fechamento desta matéria, nenhum deles respondeu aos e-mails enviados. Por contato telefônico, o único vereador que respondeu (por meio de sua assessoria) foi Moysés Abujadi. Segundo a assessora, ele recebeu o e-mail, mas preferiu não se manifestar sobre o caso.

Com isso, mais uma vez a população ficará sem uma explicação, sem uma justificativa que ao menos tente apresentar um motivo plausível para que em meio à crise econômica que o país atravessa a Câmara de VALINHOS aprove um aumento de 80% para seus vereadores.

Talvez o real motivo seja que não há explicação para o ato, mas ninguém quer falar sobre o assunto. A esperança  deles  é que até as próximas eleições o povo esqueça o assunto.

468 ad