VALINHOS: Discussões marcam mais uma sessão conturbada

VAL_Camara VAL 08_12_15_Crédito Guilherme Ferragut (5)

Quem esteve presente à sessão da Câmara de VALINHOS na terça-feira, 8, ficou decepcionado ao ver que a Lei Orçamentária Anual (LOA) foi tirada da pauta de votações devido a uma emenda apresentada. A retirada do projeto, porém, não foi motivo para que a sessão fosse mais calma e rápida. A discussão de moções e requerimentos foi suficiente para acalorar os discursos e alimentar a já bem nutrida rixa entre situação e oposição.
O ápice da discussão aconteceu quando, durante a votação de requerimento sobre o impasse do transporte escolar universitário da cidade, o vereador Moysés Abujadi (PSD) chamou o seu companheiro de legislatura pelo PDT, Giba, de ‘malandro’. Em resposta, o pedetista devolveu a acusação. “Malandro é o senhor, que foi julgado culpado em primeira instância em processos. Um deles, inclusive, sobre um funcionário fantasma”, expôs.
Bolsões de segurança
Foi aprovado na sessão o projeto de lei do vereador Israel Scupenaro (PMDB) que altera a lei que trata dos bolsões de segurança, para garantir que a Prefeitura fique responsável por serviços básicos de manutenção nesses locais, como poda e reposição de árvores, tapa-buraco e conservação das áreas públicas. O parlamentar justificou o projeto afirmando que não é justo que os proprietários de imóveis dessas áreas sejam responsáveis por realizar toda a manutenção, já que os bolsões não são fechados, mas sim abertos à população.
Outro projeto de autoria do vereador, que também foi aprovado é o que prorroga para até o dia 31 de dezembro de 2016 o prazo para o pedido de regularização de construções. O prazo previsto na lei em vigor se encerrou no último dia 30. O edil explicou que o projeto atinge apenas as obras já realizadas e que é uma oportunidade oferecida aos proprietários.
Transporte universitário
Um requerimento apresentado e aprovado pede informações sobre o subsídio ao transporte fretado de estudantes para escolas técnicas e universidades. No documento, o vereador Scupenaro (PMDB) pergunta por que o formulário para requerer o benefício foi retirado do site oficial da Prefeitura. Em discurso, ele cobrou agilidade para que a situação seja resolvida com urgência, já que as matrículas dos estudantes precisam ser renovadas.
O parlamentar Giba afirmou que os vereadores têm sido procurados com frequência por pais e alunos preocupados com a situação. O dr. Moysés Abujadi destacou a crise financeira enfrentada no município e criticou a liminar concedida pela Justiça impedindo a Prefeitura de usar recursos de depósitos judiciais para reforçar o caixa. De acordo com ele, o dinheiro liberado seria utilizado para pagar precatórios e a dívida com o Valiprev, preservando recursos municipais que poderiam ser aplicados em outras áreas, como no subsídio ao transporte fretado.
O vereador Paulo Montero (PSDB) também discutiu o assunto e tranquilizou os estudantes. “O prefeito Clayton Machado está sim preocupado e tem buscado solução. Os alunos podem ficar tranquilos. Ninguém precisa fazer o cancelamento de suas matrículas, porque a solução virá”, garantiu.

468 ad