VALINHOS: Engarrafamentos e mato nas estradas irritam motoristas

Espera para cruzar a pista pode chegar a 15 minutos

Espera para cruzar a pista pode chegar a 15 minutos

Não é de hoje que a Estrada da Boiada (SP332) é um problema para quem precisa passar pela via que liga as cidades de VALINHOS e VINHEDO. Antes da duplicação da estrada no trecho vinhedense, acidentes com vítimas graves eram comuns e vez por outra a rodovia encontrava-se bloqueada por carros danificados ou até com problemas mecânicos.
Superado esse problema, o que atrapalha a vida do motorista que usa a via nos dias de hoje é o grande fluxo de carros e caminhões que circulam pela estrada. Segundo levantamento divulgado, cerca de 9 mil veículos passam pelo trecho todos os dias. Com um fluxo tão intenso, não é de se entranhar que por vezes a espera para atravessar a via passe dos quinze minutos.
Como um dos principais motivos para o grande fluxo no trecho, é apontado o desvio do pedágio da Rodovia Anhanguera. Os motoristas reclamam que fica muito caro passar todos os dias pelo pedágio, e com razão. Além da Estrada da Boiada, outro ponto crítico é o cruzamento da Rodovia Comendador Guilherme Mamprin com a Avenida Doutor Antônio Bento Ferraz, em frente ao Colégio Etapa.
Basta ficar observando o trecho num final de tarde para perceber o que passa quem precisa usar o cruzamento diariamente. Sem contar os dias de chuva, quando não são raros os alagamentos na avenida. Mas esses não são os únicos problemas nas ruas e avenidas de VALINHOS.

MATO NA ESTRADA

Outro ponto crítico é a rua que dá acesso ao Clube de Campo de VALINHOS, a Estrada do Jequitibá. Segundo denúncia que chegou à FOLHA NOTÍCIAS, um dos moradores do condomínio, há dois meses atrás, solicitou o corte de mato às margens da estrada, porém, até agora nada foi feito. “O mato está crescendo com as recentes chuvas e a estrada, estreita por natureza, está ficando extremamente perigosa”, alertou o morador Humberto De Marchi Gherini. Quando a equipe de reportagem da FOLHA foi ao local, pôde verificar caminhões invadindo a pista contrária para desviar do mato alto, o que representa um perigo real para quem vem em sentido contrário. Resta aguardar que a Prefeitura tome as providências cabíveis no trecho que lhe diz respeito.

O QUE DIZ A PREFEITURA

A Assessoria de Imprensa da Prefeitura de VALINHOS informou, com relação aos engarrafamentos, que acredita na diminuição no número de veículos quando o pedágio começar a ser cobrado por quilômetro rodado, o que inviabilizaria economicamente o desvio. Com relação ao mato, a Prefeitura afirmou que algumas partes da estrada realmente precisam ser limpas, e que isso está no cronograma municipal de limpeza pública. Porém, não informou a data em que o corte dos matagais será realizado.

468 ad