VALINHOS: Orestes Previtale garante colocar Valinhos ‘no trilho’

val_orestes_cred-cmvalLogo após a sua diplomação, na manhã da sexta-feira, 16, o prefeito eleito de VALINHOS fez uma rápida análise dos problemas principais do município e assegurou, em entrevista exclusiva para a FOLHA NOTÍCIAS, que a partir de 1º de janeiro de 2017, quando assume de fato o comando da cidade, apresentará uma série de medidas a serem implementadas no primeiro ano do seu governo com o objetivo precípuo de colocar VALINHOS ‘nos trilhos’.

FOLHA NOTÍCIAS (FN) – Prefeito Orestes Previtale, qual a sua expectativa com relação ao exercício do poder em VALINHOS para o mandato de 2017 – 2020 diante da crise que atinge o país e grande maioria dos municípios?
Orestes Previtale (OP) – A expectativa é a melhor possível, é muito positiva, vejo muito trabalho em cima das propostas de campanha sendo colocadas em prática a partir de 1º de janeiro.

FN – Como pretende, você que veio de lá, se relacionar com o legislativo?
OV – Já estou trabalhando com os vereadores para obter o apoio do legislativo, muito importante para colocar em prática os compromissos assumidos durante a campanha. Mas adianto que nada será fácil. Temos uma dívida de curto prazo que provavelmente ultrapassará os R$ 100 milhões, e uma arrecadação abaixo dos R$ 380 milhões. O nível de endividamento do município também dificultará os investimentos, mas eu tenho a convicção de que com muita calma, muita tranquilidade, muita competência e com o apoio do legislativo a gente consegue chegar lá”.

FN – A situação do transporte público está muito complicada, com sérios prejuízos para a população. Como pretende atuar nesse caso?
OV – O transporte público de VALINHOS está judicializado, então, é necessário aguardar a decisão final da justiça com relação à licitação e à integração para depois a gente atuar em cima. Nesse momento não cabe uma intervenção pois não sabemos se a licitação é válida ou não, se terá que ser feita uma nova licitação, mas tudo depende do julgamento da ação para nós desenvolvermos ações efetivas para que a população não sofra e pague o pato por isso aí.

FN – Falar em pagar, como fica essa nova relação com a Santa Casa e demais entidades de assistência social?
OV – São situações novas que vão surgir a partir de 1º de janeiro. A santa Casa deixa de receber subvenções e passa a exercer a contratualização, quer dizer, vai receber por serviço prestado em contrato. Todas as demais entidades de VALINHOS vão ter que se adequar a essa nova realidade. Não mais receberão subvenções, mas terão que firmar contrato com a municipalidade.

FN – Como você vê o serviço prestado pelas forças policiais de VALINHOS?
OV – Aqui no município existe um funcionamento harmônico entre as polícias da cidade. A Guarda Municipal colabora a Polícia Civil e a Polícia Militar, e o resultado tem sido um trabalho muito bom.

FN – Quais estratégias pretende utilizar para atrair novos investimentos para VALINHOS?
OV – Vamos reativar o Polo Logístico no Macuco que ficou esquecido na última gestão. O espaço está legalizado, ali já existe uma área disponível para isso, porque a vocação do município é para a logística, não é para indústria pesada, poluente, consumidora de recursos hídricos. Mas se outras empresas sem estas características quiserem vir, podem tranquilamente ser instaladas na cidade.

FN – O que pretende fazer a partir de 1º de janeiro?
OV – Vamos publicar um decreto com uma série de medidas de contenção, de economia, de busca de receitas. Essas medidas serão implementadas no primeiro ano de governo para que consigamos reequilibrar a economia do município e colocar VALINHOS ‘nos trilhos’. 

468 ad