VALINHOS: Sessão oficializa saída de César Rocha da Câmara

A10_VAL_Fabricio Bizzari_Crédito Arquivo Pessoal

Sem nenhum projeto para ser votado na noite de terça-feira, 9, a sessão da Câmara Municipal de VALINHOS foi calma e sem surpresas. O grande destaque da noite ficou por conta da leitura do comunicado da Justiça, informando da cassação do mandato do vereador César Rocha (Rede) por infidelidade partidária. De acordo com a decisão lida, Rocha, que se desligou do Partido Verde (PV) para se filiar à Rede, realizou o ato fora do prazo estipulado pela Justiça, o que caracterizou infidelidade partidária. César Rocha já não estava na sessão. A decisão da Justiça também foi emitida no sentido de que outro membro do PV assumisse a cadeira de César Rocha. Assim, na tarde de quinta-feira, 11, em cerimônia oficial, assumiu o agora vereador Fabrício Bizzari (PV). Ele é formado em engenharia mecânica, é músico e gestor cultural especializado em gestão e políticas culturais. Foi diretor do Departamento Administrativo de Espaços Culturais por 3 anos e diretor da Biblioteca Pública Municipal Dr. Mário Correa Lousada e do Museu  Municipal ‘Fotógrafo Haroldo Ângelo Pazinatto’.

Novos descartes para pneus

Embora não tenha havido votação de nenhuma lei, alguns projetos deram entrada na Casa. Entre os que mais chamaram a atenção está um de autoria do vereador João Moysés Abujadi (PSD) que trata de destinação a pneus velhos do município. O projeto prevê que fabricantes e importadores dos pneus realizem a recolha dos mesmos e ofereçam a destinação correta. Caso aprovada, a lei também estabelece multa de cinco salários mínimos aos infratores e o prazo de 12 meses para adequação dos estabelecimentos comerciais que trabalham com os objetos. Todo o custo da destinação ficaria por conta do fabricante ou importador.

Tudo em paz

Outra coisa que chamou a atenção durante a sessão foi o clima de paz que reinava no recinto. Ao contrário do que se viu no primeiro semestre, quando as sessões chegaram a durar mais de cinco horas devido às discussões entre situação em oposição, na noite de terça-feira o que se viu foram expressões de estrema cordialidade e nenhum embate mais caloroso. Prova disso é que nem quando a oposição resolveu cobrar alguns problemas antigos, como a manutenção da praça Amélio Borin, os vereadores da situação fizeram como se não tivessem ouvido. Nem mesmo o pré-candidato a vice-prefeito na chapa de Clayton Machado, Lorival (Pros), se manifestou em momento algum sobre qualquer crítica que tivesse sido feita. Um momento quase inédito nesta vereança.

 

468 ad