VALINHOS: Sindicato ameaça greve na Prefeitura de Valinhos por causa de dissídio

O presidente do Sindicato dos Funcionário Públicos de VALINHOS (STMAVLM), Valteni Santos, acusa a Prefeitura Municipal de VALINHOS de realizar mais uma artimanha para prejudicar o servidor, logo depois de avançar contra a Guarda Municipal ao tentar revogar a lei 5.307/16, sem deixar alternativas para categoria.

MANOBRAS
Valteni Santos explica que além da Guarda Municipal, o governo de Orestes Previtalle (PMDB) vem tentando prejudicar os servidores como um todo. “A prova é que na, quinta-feira, 26, graças às suas manobras políticas junto aos vereadores conseguiu aprovar por 13 votos a favor do governo e contra os servidores públicos, e apenas 3 votos a favor, sendo eles dos vereadores Popó, Mauro Penido, e Franklin, o projeto que tem a alteração da data da reposição inflacionária (dissídio) a ser pago o total agora em janeiro em 2 parcelas ( janeiro e julho) e a perda parcial inflacionária de 2017 do mês de janeiro até julho a ser pago em 2018”.

SEM NEGOCIAR
Santos acusa ao atual prefeito de não negociar e nem dialogar, “porque alterar uma mudança de recebimento da reposição salarial parece ser coisa simples, mas não é. Da forma como está sendo feito, o servidor sairá prejudicado, pois já era programado esse valor, ainda mais agora, começo de ano onde as despesas são muitas, IPVA, IPTU, escola, material escolar, etc”. E garante: “O sindicato não recuará em meio a mais essa injustiça. O servidor público municipal de VALINHOS merece respeito! Ainda mais porque na segunda-feira, 23, realizamos uma assembleia que contou com a presença de 80 guardas municipais que votaram e decidiram pela não revogação da lei 5.307-16 – Plano de Cargos e Carreiras – em vigor desde o dia 1º de janeiro. Essa decisão foi protocolada na mesma segunda-feira, 23, no Paço Municipal”.

PODE TER GREVE
Segundo o presidente Santos, “o sindicato não pode aceitar tamanho absurdo e tomará as providencias necessárias para que essa instituição honrada e respeitada pela população valinhense não seja prejudicada. Já fomos enganados outras vezes. E caso não sejam atendidos os pedidos dos funcionários públicos de VALINHOS, há a possibilidade de realizar uma paralisação por parte da classe. Portanto, a greve é uma possibilidade que não descartamos”, ameaça.

468 ad