VINHEDO: Corte no adicional de insalubridade da Sanebavi gera protestos de servidores na Câmara Municipal

Portando cartazes com palavras de ordem, alguns servidores da Sanebavi, apoiados por um sindicato local, fizeram uma manifestação durante a 4ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal de VINHEDO, realizada ontem (1º), contra o projeto de lei para reestruturação da autarquia apresentado pela Prefeitura Municipal, e que já se encontra no gabinete dos vereadores para que seja lido, avaliado e votado.

INSALUBRIDADE
O projeto prevê a redução de quase 50% dos cargos comissionados, mas a queixa principal dos servidores é o corte do adicional de insalubridade, direito adquirido há anos. Eles se queixam de que o adicional foi retirado sem que houvesse qualquer discussão com os servidores, os maiores prejudicados com a medida, considerada arbitrária até mesmo por vereadores considerados da ‘situação’.

SEM DISCUSSÃO
Segundo o vereador Edson PC (PDT) o projeto reduz de 30 para 22 os cargos comissionados, “mas logo em seguida vão contratar 9 gerentes, 26 auxiliares técnicos e 25 auxiliares administrativos, que somados aos 22 dá mais de 80 cargos. Não há economia, ao contrário, aumentam os custos com funcionários”, entende PC.

ATITUDE
Já o vereador Cidinho Fróis (PMDB) se disse contrário à retirada do adicional de insalubridade sem que a direção da Sanebavi tenha explicado aos funcionários o porquê da medida. Causa estranheza também colocar ouvidor comissionado. Deve ser o único lugar que tem ouvidor comissionado. “Desse modo que o projeto foi apresentado não terá o meu voto a favor”, garante.

Cidinho também se reportou aos roubos constantes que estão acontecendo nas escolas do município. “A Prefeitura precisa tomar uma atitude com relação a esse problema. Estamos aqui para ajudar o governo, mas o prefeito Jaime Cruz precisa fazer algo para melhorar essa situação”, opina Cidinho Fróis.

LIBRAS CONTINUA
Coube ao vereador Edu Gelmi (PMDB) esclarecer o boato de que o curso de Libras seria suspenso pela Prefeitura. O vereador procurou a assessora Rosana, da secretaria de Educação, que confirmou não ser verdade, e que o curso de Libras vai permanecer na ativa. Edu também se manifestou contrário ao projeto de lei da Sanebavi que retira o adicional de insalubridade dos servidores da autarquia. “É um absurdo cortar direito de funcionário. Nem na iniciativa privada isso é admissível. Quero manifestar o meu repúdio a esse projeto e o meu apoio aos funcionários da Sanebavi”.

Edu Gelmi questionou o fato de a Prefeitura arrecadar R$ 450 milhões “e mesmo assim não é o suficiente para administrar o município? É muito simples resolver esse problema da dívida de R$ 109 milhões: é só gastar o que ganha, não pode é gastar mais do que se arrecada”, opina.

PICOLÉ DE MACACO
Um macaco foi eletrocutado, foi encontrado vivo e levado à Central de Zoonoses. A vereadora Flávia Bitar (PDT) soube do ocorrido e ligou para a Zoonoses, sendo informada por uma funcionária chamada Fátima que o macaco estava guardado no freezer aguardando a chegada de algum veterinário para avaliar as condições do animal. Questionando a funcionária sobre o porquê de ter colocado o macaco no freezer ouvia da mesma a seguinte explicação: “Ele ainda estava vivo, então achei melhor colocar no freezer para ver se morria logo”.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL
Segundo a vereadora, que tem lutado pela causa animal, assim como pela ecologia e pela vida como um todo, “esse absurdo é o retrato fiel da realidade, já que são poucas as pessoas que veem os animais como seres dignos de respeito, de cuidado adequado e que devem ser protegidos e não agredidos, abandonados e muitas vezes mortos por seus ‘donos’, na realidade, ‘verdugos’ de animais indefesos, tanto os de pequeno e médio porte, como os de grande porte, como os equinos, bovinos e muares. Daí a necessidade urgente de se lançar campanhas de educação ambiental já nos primeiros anos da escola para que a nova geração possa ter uma atitude mais amorosa e responsável para com os animais e para com a vida como um todo”, acredita Flávia.

CARNAVAL DA CARNE
O vereador Sandro Rebecca (PDT) fez uma reflexão sobre o que ele assistiu na Praça Sant´Ana, durante o carnaval de VINHEDO. Vi crianças, adolescentes e adultos completamente bêbados, drogados, urinando na praça, crianças de 14 anos caindo bêbadas no chão da praça. Cenas lastimáveis sem que ninguém possa evitar. A carne impera livremente. Os pais precisam estar atentos. Vamos valorizar os blocos, a festa, mas não é normal o que está acontecendo durante o carnaval em VINHEDO. E bem em frente à Igreja de Sant´Ana. As famílias precisam cuidar da educação de suas crianças e adolescentes”, apela Sandro Rebecca.


ABUSIVO
Por sua vez o vereador Rodrigo Paixão (Rede) comentou sobre o aumento das passagens de ônibus, “abusivo”, segundo o vereador. Nós entramos no Ministério Público contra o aumento e a forma não transparente como foi concedido, dessa forma abusiva, acima da inflação. Sobre o carnaval, Rodrigo parabenizou o carnaval, mas criticou os excessos verificados. Ele criticou o aumento gigantesco de nomeações na Sanebavi.

468 ad