VINHEDO: Expulsos, Conselheiros da Saúde ameaçam recorrer à Justiça

Documento pedindo ao Ministério Público o cancelamento da cassação do conselheiro Ademirzinho

Dois integrantes do Conselho Municipal da Saúde de VINHEDO, do setor de usuários, foram expulsos por unanimidade pelos demais membros, em reunião extraordinária realizada no dia 9 de outubro. A decisão foi tomada levando em consideração o Regimento Interno e o Código de Ética, pois alega-se que a dupla estava deturpando os trabalhos do Conselho, deixando de atender as necessidades do órgão e ainda, fomentando discussões, o que causou a expulsão dos agora ex-conselheiros Ademir Florentino (o popular Ademirzinho) e Eleandro Andrade Lima. A reportagem da FOLHA NOTÍCIAS esteve na sede do Conselho e conversou com Ademir Florentino, mais conhecido como ‘Ademirzinho’, que garantiu entrar na Justiça para anular a decisão da Plenária, alegando que não existem provas contra eles, e que tudo se trata de manobras políticas do secretário Alexandre Viola, junto com Getúlio de Souza, que exerceu até quarta-feira (10), a função de presidente interino, devido ao afastamento temporário da atual presidente Maria “Doca” Maciel, e também de alguns integrantes do Conselho de Ética.

Por seu lado, “Doca” revelou que o motivo principal para a decisão de expulsar os ex-conselheiros foi o ‘comportamento deles para com todos os integrantes do Conselho Municipal da Saúde’: “Eles foram advertidos várias vezes por causa da forma desrespeitosa com que tratavam os membros do Conselho, funcionários, o próprio secretário Dr. Alexandre Viola, inclusive a minha pessoa”.

Procurado pela reportagem da FOLHA, Getúlio de Souza declarou que a decisão foi difícil, mas que alguma ação tinha que ser feita.  “Ninguém quer expulsar conselheiro, muito pelo contrário, mas qualquer empresa que tem um funcionário agressivo, que não respeita e não cumpre com as suas funções de forma correta, é levada a demitir essa pessoa, que se tiver consciência de suas falhas, vai procurar corrigí-las e tentar outro emprego. Na esfera pública ocorre o mesmo, e os três conselheiros abusaram de suas funções, agrediram diversas vezes seus colegas e funcionários, inclusive o atual gestor. Claro que a função do conselheiro é investigar as falhas procurando corrigir os erros, eles até faziam isso, mas por outro lado jogavam tudo por terra devido ao caráter violento e sem respeito com que tratavam os outros conselheiros e demais integrantes da área da saúde”, comentou Getúlio.

“Na verdade fomos vítimas de um golpe político, pois somos contra o Governo e aí aproveitaram para nos tirar de cena. Isso não vai ficar assim. Vamos anular tudo, e vamos mostrar para os vinhedenses quem tem razão. Haverá um processo judicial para cada um deles. Já denunciei também no MP (Ministério Público), pois isso foi feito de forma irregular. Queremos nossos cargo de volta”, ameaçou Ademirzinho.

 

 

Ademizinho contesta sua expulsão do Conselho Municipal da Saúde

468 ad