VINHEDO: Pronunciamento de Edu Gelmi ‘sacode os acordos políticos’ na sessão da Câmara

VDO_Edu Gelmi_Crédito Carol Martins (59)

Diante de uma pauta sem expressão, os vereadores vinhedenses deram um jeito de tornar 119ª Sessão Ordinária da 16ª Legislatura um pouco mais palatável e a ‘cereja do bolo’ ficou por conta do pronunciamento do vereador Edu Gelmi (PMDB) oficializando o rompimento da legenda com o Governo Jaime Cruz e dando nomes ‘aos bois’. “O ex-prefeito Milton Serafim é o ‘Lula de Vinhedo’: nunca sabe de nada”, cascou o edil durante o seu tempo de explicação pessoal. Gelmi começou sua fala avisando aos companheiros que não iria dar aparte nenhum e que usaria todo o seu tempo em um único pronunciamento.
“Não tenho o hábito de ler, mas vou reproduzir o que exaustivamente o PMDB vinha conversado com o Governo Jaime e deixar clara a nossa posição nestes acordos que nunca aconteceram”, começou. Segundo o vereador, o documento foi elaborado pelo grupo do PMDB de VINHEDO, que iniciou agradecendo ao prefeito Jaime Cruz (PV) pelo convite feito para assumir a Secretaria de Administração, mas que as exaustivas conversações nos últimos meses foram infrutíferas, apesar do grupo peemedebista achar o prefeito uma pessoa de bem e merecedora de respeito. “Desde o início das nossas conversas”, explicou Gemi, “ a condição era o afastamento de diversos secretários que ainda representam o ex-prefeito Milton Serafim, para nosso grupo, o PMDB pudesse apoiar Jaime Cruz em 2016. Essa condição não apareceu somente agora, com o episódio jurídico que aconteceu recentemente com ele. Nossa posição sempre foi claramente colocada para Jaime. Entendemos que já passou da hora de Jaime dar um ‘choque de gestão’ e mostrar a sua marca, a sua cara e a sua Administração. Apesar do ex-prefeito Milton alardear que não quer mais saber de política, sabemos que não é verdade e entendemos que não podemos mais aceitar a interferência inexplicável deste senhor na Administração de VINHEDO. Esse apego ao poder é nocivo à Prefeitura, e a população não aguenta mais esse continuísmo”, afirmou.
DANDO NOME AOS BOIS
Gelmi disse ainda que Jaime já pegou a Prefeitura quebrada e hoje administra a cidade sem nenhum critério lógico e aceitável. “A situação é tão caótica e vexatória que não se tem mais dinheiro nos cofres da Prefeitura”, continuou o edil, “que a Prefeitura não pode receber recursos da Caixa por falta de Certidão Negativa de Débitos, por que o recolhimento do FGTS e do INSS está em atraso. É muito triste. O telefone do Cemitério foi cortado por falta de pagamento. O mesmo aconteceu com a UPA na semana passada”, denunciou. Segundo o peemedebista, Jaime está rodeado de representantes do ex-prefeito, que ficam martelando em sua cabeça o tempo inteiro que sem o apoio do Milton ele não ganhará a eleição no ano que vêm. “O PMDB não acredita nisso, mas respeitamos a escolha de Jaime. Agora vamos dar alguns nomes, doa a quem doer”, anunciou. “O Odair Seraphim, o ‘Canjica’, superintendente da Sanebavi. Qual a qualificação para estar no cargo? A de primo do ex-prefeito? A Sanebavi tem 230 colaboradores e a rejeição a ele chega 95%”, acusou. Mencionou ainda Deise Menezes Gomes Serafim, da Pasta da Fazenda. “A situação da Deise é a mesma. Basta ter o sobrenome Serafim para conseguir um cargo? Seus relatórios e orçamentos são confusos e sem consistência. O prefeito está governando por instinto. O secretário de Governo então, o sr. José Pedro Cahum, é uma presença inexplicável. Ele foi responsável pela licitação no caso do ‘frango ostentação’. Em qualquer outro lugar seria necessário esperar a apuração do caso para que ele voltasse ao Executivo”, desabafou.
‘TEREMOS CARREIRA SOLO’
O Grupo do PMDB atacou também o secretário de Saúde, José Luis Bernegossi. “O ‘prefeitinho,’ cuja lealdade é questionada por todos, disse que o PMDB é inexpressivo. Será? E ele, com toda a receita que tem não consegue reabrir a Santa Casa? E nós estamos de palhaços pedindo por isso aqui no púlpito, esperando até agora! Ele vai para casa com o carro da municipalidade para Louveira, onde mora, todos os dias. Entendemos a escolha de Jaime. Não concordamos, mas desejamos sorte e que Deus ilumine a trajetória dele em VINHEDO. O PMDB terá carreira solo e tem coragem para isso. Agora faremos o partido crescer com dignidade. O que queríamos era que houvesse coerência política e administrativa”, finalizou, ao que foi muito aplaudido, principalmente por integrantes do ‘Grupo Serpentes’ de VINHEDO, que estavam na plateia.
AGRADECIMENTO AO ‘COROINHA BUGA’
Após a leitura da Moção de Aplausos à Paróquia São Sebastião, representada pelo padre José Carlos de Lima, pela realização do Cerco de Jericó, de autoria de Ana Genezini (PTB) e do presidente da mesa, Márcio Melle (PSB), Ana pediu a palavra para fazer um agradecimento especial ao ‘Jaiminho’, mais conhecida em Vinhedo como o ‘Coroinha Buga’, que participa regularmente das sessões. “Tem sido o mais jovem repórter fotográfico desta cidade, das comunidades e da região. E não só nos eventos religiosos, mas outros, e contribui muito para a preparação de nossos atos oficiais aqui na casa cedendo as fotos que tira. E também quero aproveitar a sua presença para que você possa levar ao padre José Carlos de Lima o meu cumprimento e dizer que fico muito feliz de ele ser um padre firme e de ter mantido o Cerco de Jericó, um evento religioso carismático.”, disse a parlamentar, avisando que sairia da Casa logo após a leitura da Ordem do Dia.
RECLAMAÇÃO SOBRE
HORÁRIO DA OITIVA
Depois de lida a Ordem do Dia e votados os três requerimentos da pauta, Valdir Barreto pediu à mesa da presidência autorização para fazer o registro de uma reclamação. Melle concedeu cinco minutos para isso. Valdir reclamou sobre a convocação para uma oitiva do secretário de Transportes e Defesa Social, Toninho Falsarella, para o período da tarde, uma vez que a convocação votada pelos parlamentares previa horário noturno. “A população que trabalha não pode participar. Passividade não combina com independência e nem com autonomia”, disse. Melle respondeu que de acordo com o Regimento Interno da Casa, quem estipula o dia e a hora para ser ouvido é a autoridade convocada. Marta Leão denunciou mais uma vez a falta de medicamento nos postos de saúde, em especial a insulina Lantus, e o fato da UPA estar há oito dias sem Raio-X e sem telefone por falta de pagamento, reforçando as denúncias do vereador Edu Gelmi.

468 ad