VINHEDO: Vereador Florentino diz que assinou CPI porque confia no prefeito Jaime Cruz

A FOLHA NOTÍCIAS verificou que o vereador Carlos Florentino (PV) também assinou o pedido de CPI feito pela oposição para investigar as contas públicas na Administração do prefeito de VINHEDO, Jaime Cruz (PSDB).
Aproveitando a confusão que houve de quem assinou ou não (ao final da sessão, todos assinaram), a FOLHA NOTÍCIAS esteve no gabinete do vereador Carlos Florentino para uma entrevista exclusiva com o parlamentar, que é também Guarda Municipal e um dos que exercem o primeiro mandato na Casa de Leis.

FOLHA NOTÍCIAS (FN) – Vereador, depois de corrigido o erro da troca de nomes dos vereadores que assinaram o pedido de CPI, gostaria que esclarecesse para o público leitor o porquê de o nobre edil ter assinado o pedido de instalação de uma CPI pedida pela oposição ao prefeito Jaime Cruz?
Carlos Florentino (CF) – Em primeiro lugar, quero cumprimentar o jornal FOLHA NOTÍCIAS pelo fato de que o povo de VINHEDO tem demonstrado ser um grande leitor do jornal, principalmente on line, na internet m. Em segundo lugar, quero agradecer o espaço que me está sendo oferecido para conversar com os meus eleitores e a população da cidade a respeito da instalação dessa CPI a pedido da oposição e o porquê da minha assinatura de apoio à instalação dessa CPI, já que sou da base de apoio do prefeito Jaime Cruz, fui eleito pela situação, apoiei o Jaime Cruz nas eleições de 2016, e mesmo assim assinei o requerimento da oposição pedindo a instalação da CPI das Contas Públicas.

FN – O nobre vereador acredita nessa CPI?
CF – Sim, acredito que a CPI irá demonstrar que a administração do prefeito Jaime Cruz é limpa e a mais transparente do Estado de São Paulo, e que o prefeito Jaime Cruz também é uma pessoa limpa, íntegra, e que não tem nada a esconder, porque ele mesmo tem demonstrado apoio a essa CPI nas suas redes sociais para que os fatos sejam apurados, as dúvidas esclarecidas e se por acaso for constatada alguma irregularidade, que os culpados sejam encontrados e punidos no rigor da lei. Confio no prefeito Jaime Cruz plenamente.  Para o prefeito e para a situação nada melhor do que apoiar a CPI, e, como já disse, se existirem culpados por causarem danos à ordem pública que sejam devidamente punidos.

FN– E enquanto acontecem as investigações, como fica a gestão da cidade, afinal a CPI pode se arrastar por até um ano?
CF – Então, apesar de ter assinado a CPI junto com a oposição, a mesma é motivo de preocupação para os que amam o município porque em termos de crescimento econômico a tendência vai ser piorar o quadro existente com a falta de novos investidores, porque ninguém vai querer arriscar seu dinheiro em uma cidade com a gestão engessada por uma CPI. Um ano é muito tempo para o município ficar parado em plena crise por causa dessa CPI. Estamos com problemas financeiros com perda crescente de arrecadação, aumento cada vez maior de despesas com a manutenção da cidade, porque a população continua crescendo, as necessidades ficando maiores, os gastos cada vez maiores e a arrecadação é a única que vem diminuindo.

FN – A instabilidade política e econômica em que vive o país nesse momento tem afetado as contas públicas de VINHEDO. Com a CPI a tendência é piorar? Então, porque apoiar essa CPI?
CF – É verdade, aqui acontece o mesmo que ocorre em Brasília, os investidores estrangeiros não querem se arriscar nessa turbulência que ocorre no País, e ninguém vai investir em VINHEDO porque não se sabe o que vai acontecer depois da CPI.  A CPI é importante, por um lado, porque  pode investigar e chegar à conclusão de que tudo está certo, tudo legal. Mas, por outro lado os investidores não querem saber disso, e sim do que vai acontecer depois da CPI, como vai ficar a gestão da cidade. As pessoas não percebem que os empresários deixam de investir enquanto acontece uma CPI e mesmo depois dela. Um ano de CPI pode causar grandes prejuízos para a economia de VINHEDO. Mas ao mesmo tempo vai ficar demonstrado que de fato a oposição não vai encontrar nada de ilegal ou irregular na administração de Jaime Cruz. E isso é muito importante nesse momento de grande descrédito da classe política.

FN – Fale um pouco do seu primeiro mandato como vereador de VINHEDO?
CF – Estamos iniciando o trabalho na Câmara colocando o mandato sempre à disposição do povo vinhedense. Entre os projetos apresentados, posso destacar o que institui no município a Semana de Conscientização e Prevenção do Zika Vírus, problema que ainda afeta um número muito grande mulheres e seus bebês. Outro projeto voltado para as mulheres em particular, é a criação da Patrulha Maria da Penha para o combate à violência doméstica que atinge principalmente as mulheres, as crianças e idosos, e que ocorre no ambiente familiar. As mulheres enfrentam uma dupla ou tripla jornada de trabalho como mãe, esposa e trabalhadora, e quando chega em casa enfrenta a violência doméstica vinda do marido, do namorado, do ex, muito em função do uso de bebida alcoólica que é a causadora do maior número de homicídio na país. Um simples churrasco pode virar homicídio por causa do exagero no uso do álcool.

FN– E o contato com os eleitores fora do gabinete, como tem sido?
CF– Tenho andado muito pelo município conversando com as pessoas sobre as prioridades em cada bairro e rua, tenho monitorado a situação de calçadas e vias, apontando as reformas necessárias em praças e parques, e mesmo com a brutal perda de arrecadação a Prefeitura Municipal tem procurado responder às demandas, e até o momento vem fazendo muita coisa boa para os moradores de VINHEDO. Mas com as despesas aumentando e com a arrecadação diminuído drasticamente fica difícil atender a todos dentro do nível de atenção e da qualidade que merece o povo vinhedense.

FN– Essa crise atual é sem precedentes. Dá para comparar essa administração com  as passadas?
CF – Sei que tem um pessoal que compara a administração atual com as passadas, mas são situações inversas. Tivemos grandes administradores que viveram uma época de ouro na cidade, e a cada ano a arrecadação aumentava em milhões. Hoje é o contrário, vivemos uma era de latão, cada ano diminui a arrecadação, mas as despesas continuam aumentando, a população continua crescendo, ao se construir uma creche são necessárias cerca de 50 pessoas para atuar em uma unidade. A própria Guarda Municipal precisa ampliar o contingente por causa do aumento da população e da violência. O secretário Júnior Vendemiatti está empenhado junto ao prefeito Jaime Cruz para fazer um novo concurso.

FN– O que o senhor pensa do aumento dos servidores municipais?
CF – Esse é outro aspecto a considerar. A inflação é muito maior que a correção obrigatória, mesmo assim em alguns lugares nem isso é dado aos funcionários. A realidade do dia a dia é muito diferente do que é calculado para a inflação. Mas como disse, as despesas aumentam a cada instante enquanto a arrecadação vai diminuindo a passos largos. Estamos todos no meio da crise. Mas acredito que com a força de vontade do Executivo, do Legislativo, e do povo vinhedense a cidade vai voltar a crescer porque muita coisa ainda precisa melhorar e com o retorno do crescimento da economia no país, e com o reflexo na economia aqui da cidade VINHEDO vai voltar a ser a cidade que queremos com empregos, qualidade de vida, educação, saúde, esporte, lazer, cultura, turismo, transporte e tranquilidade para os novos e os já consolidados investidores.

FN– O que pensa do futuro para  VINHEDO?
CF – Eu amo essa cidade, e espero que em 2018 já tenhamos resolvido essa crise e voltemos a viver dentro do padrão de vida que o povo vinhedense merece e tudo faremos para que seja o melhor possível. E que essa seja também a vontade de Deus. Muito obrigado pela oportunidade, e à reportagem da FOLHA NOTÍCIAS por esta entrevista esclarecedora.

468 ad