VINHEDO: Vereadores aprovam projeto de equiparação salarial dos funcionários da Prefeitura e da Câmara

O Projeto de Lei Complementar nº /2017, de autoria do vereador e presidente da Câmara Municipal de VINHEDO, o advogado Nil Ramos (PSDB), que trata da correção e atualização da Tabela de Salários e Funções Gratificadas (FG), foi aprovado por unanimidade na noite de segunda-feira, 24, às 18h, durante a 12ª sessão ordinária.

SALÁRIOS EQUIPARADOS
A equiparação se procedeu nos cargos de Motorista, Agente de Apoio – Atendimento (30 horas semanais), Agente de Apoio – Serviços Gerais (40 horas semanais), Agente de Apoio – Vigilância (12X36), Agente de Serviços de Transporte – Motorista (40 horas semanais) e Procuradora Jurídica (20 horas semanais). Enquanto o salarial inicial de uma atendente na Câmara é de R$ 1.563, a mesma função na Prefeitura tem o salário inicial de R$ 1.695, portanto, uma diferença de – R$ 132,78.

Veja no quadro abaixo os outros cargos com suas respectivas diferenças, agora equiparadas.

SINDICATO MUDOU DE IDEIA
Projeto semelhante tinha sido tentado pelo vereador Márcio Melle (PRN), mas foi vetado pelo sindicato dos servidores, o que supostamente impediu a equiparação de centenas de servidores que o sindicato deveria ter tido o maior interesse em ver seus salários equiparados. Desta feita, o sindicato, não se sabe o porquê, permitiu que o projeto fosse adiante, corrigindo a sua postura e finalmente beneficiando os funcionários públicos de VINHEDO.

CAROL VALENTIM
Coube ao vereador Carlos Florentino (PV) fazer uma justa homenagem à jovem Carol Valentim, de apenas 15 anos, com uma moção de aplausos pelo excelente trabalho que a mesma vem realizando por toda a Região Metropolitana de Campinas no âmbito da música sertaneja, encantando a todos com sua bela e potente voz. Um vídeo com um número da cantora foi passado para alegria do plenário.

CONSELHO DE SAÚDE
O presidente do Conselho Municipal da Saúde de VINHEDO, Francisco de Assis Albino, ocupou o microfone da Câmara no espaço para os representantes da sociedade civil organizada para falar sobre a passagem do dia 28 de abril, ‘Dia do Acidentado no Trabalho’ e dos debates que vão ocorrer ao longo da semana enfocando os diversos aspectos da saúde do trabalhador.

ASSEMBLEIA DE DEUS
Também de autoria do vereador Carlos Florentino a moção de congratulações dedicada à Igreja Assembleia de Deus, Ministério Belém em VINHEDO, pelo 30º aniversário do Círculo de Oração ‘Mulheres que Oram’, comemorado de 21 a 23 de abril deste ano. Presentes a líder geral do Círculo de Oração, Ester Alves Silva e o pastor Sílvio Donizeti Pereira, junto com várias mulheres que integral o ‘Mulheres que Oram’.

SEMANA SANTA
Já o vereador Sandro Rebecca foi o autor da moção de aplausos para as paróquias Sant´Ana, São Sebastião, Nossa Senhora de Lourdes, São Francisco de Assis e Mosteiro de São Bento, em virtude das celebrações da Semana Santa, sob a responsabilidade dos padres Júlio César Calusni, José Carlos de Lima, Pedro Luís Sérgio Damasceno, Emerson de Almeida Amaral e Dom Paulo.

FEBRE AMARELA
O vereador Rubens Nunes (PMDB) esteve com seu colega Marcos Ferraz (PSD) junto ao secretário Municipal de Saúde, o médico Alexandre Viola para debater sobre as estratégias de combate à febre amarela no município de VINHEDO.

CASO DOS REMÉDIOS VENCIDOS
O vereador Rodrigo Paixão (Rede) apresentou o relatório do Conselho Regional de Farmácia sobre o episódio dos medicamentos vencidos encontrados em um depósito da Santa Casa de VINHEDO. Para o vereador, o relatório mostra que as denúncias apresentadas são pertinentes e se queixou de um episódio de falta de ambulância na cidade. Já seu colega de oposição, Edson PC, quer saber o porquê de a dívida do município em 2015 ter sido de R$ 50 milhões e em 2016 ter alcançado a cifra de R$ 109 milhões, onde foi gasto esse dinheiro, em quais obras. “Nem a manutenção da cidade está sendo feita”, observa.

AINDA SANEBAVI
O vereador Edu Gelmi voltou a falar sobre o polêmico projeto de reestruturação da Sanebavi, que ainda pode ser melhorado, principalmente com relação ao ainda grande número de cargos comissionados. Ele votou contra o projeto nas duas vezes em que foi apresentado na Câmara, mas garantiu que “não vou deixar de apoiar o governo no que for de positivo para a cidade.

468 ad