VINHEDO: Vereadores voltam a ‘bater’ no esgoto não tratado de Louveira

Camara de Vinhedo_Credito_Izabela Reame (1)
Enfaticamente, dois vereadores colocaram em pauta a urgência de ação em relação ao esgoto sem tratamento que é despejado por LOUVEIRA no rio Capivari na última sessão da Câmara Municipal, segunda-feira, 10: Hamilton Port (PTB) e Edu Gelmi (PMDB). O edil Hamilton agradeceu a reportagem publicada pela FOLHA NOTÍCIAS semana passada, mostrando detalhadamente o descaso do Governo Júnior Finamore com a falta de tratamento do esgoto da cidade louveirense, que acaba atingindo a qualidade de captação de água de VINHEDO. “Isso vem na esteira do que o companheiro, o vereador Nil Ramos, falou na sessão passada sobre o descarte do esgoto ‘in natura’ no rio Capivari, e reforça mais uma vez a premente necessidade de se buscar uma maneira de pressionar Finamore a cumprir a promessa de tratar o esgoto”, disse o vereador.

No mesmo caminho, o vereador Edu Gelmi (PMDB) questionou a imposição de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) à atual Administração da cidade vizinha. “Eu não acredito que a Promotoria de LOUVEIRA tenha feito um TAC com a Prefeitura. E se não o fez é preciso fazer urgentemente. É uma cidade que tem recursos e pode pegar gente gabaritada para dar uma solução definitiva a essa questão. Não adianta o vereador esbravejar se não houver uma tomada de decisão do Executivo local. Não adianta estação se é para jogar o esgoto sem tratamento no rio. Devemos agendar uma reunião com Finamore. Este assunto deve envolver toda a Câmara”, afirmou. Ana Genezini sugeriu fazer um ofício assinado por todos os vereadores de VINHEDO solicitando informações ao Ministério Público de LOUVEIRA sobre a real situação da cidade. “Que se cumpra a lei”, terminou Gelmi.

OFICINA MARCA A ABERTURA DA SEMANA DE INCENTIVO À LEITURA
No mais, a 136ª Sessão Ordinária nem bem começou e já foi suspensa por cinco minutos para uma apresentação da Oficina Cultural. Sentados na plateia, vestidos de preto e carregando um guarda-chuva, os integrantes, um a um, levantaram-se para declamar uma poesia em forma de jogral. A manifestação artística marcou o início da ‘Semana de Incentivo à Leitura em VINHEDO’, na última segunda, 11, cuja abertura oficial ocorreu às 19h30 no Teatro Municipal ‘Sylvia de Alencar Matheus’ na mesma data. A população foi convidada ainda a participar neste sábado, 16, do evento Cultura na Praça, na praça Sant’Ana, com a declamação de poesias em microfone aberto à quem quiser participar, além de outras atividades e ações artísticas.

RODRIGO PAIXÃO FALTA À SESSÃO
Logo após foi feita a leitura de um ofício justificando a ausência do vereador Rodrigo Paixão (Rede) por motivo de doença. A pauta do expediente foi composta por dois requerimentos de autoria de Valdir Barreto ao Executivo; oito moções, que foram votadas e aprovadas, e 38 indicações e reiterações, cuja leitura foi dispensada. Na ordem do dia, três requerimentos solicitando informações do Executivo foram aprovados e também seis projetos de decreto legislativo concedendo títulos e honrarias foram votados englobadamente, ou seja de uma vez só, por sugestão da vereadora Ana Genezini (PMDB). Já o projeto de resolução, de autoria de Rodrigo Paixão, que sugeria voltar à antiga forma de votação dos projetos na ordem do dia, pela qual vários parlamentares poderiam discutir cada um dos projetos por cinco minutos, com réplica e tréplica, que foi mudada em novembro do ano passado, de forma que cada edil tenha cinco minutos apenas para defender seu projeto, foi rejeitado. Como bem disse Rubens Nunes, “Ele apresenta uns projetos que já sabe que não passarão. Só mesmo para ‘causar’”.

FINALMENTE PROJETO DE CARGOS É APROVADO
Já o projeto de lei complementar que cria os cargos de engenheiro em segurança no trabalho, controlador interno em cargo de função gratificada e altera a remuneração do cargo de procurador geral, pela quarta vez em votação, foi aprovado pela maioria, com apenas um vereador contra, Valdir Barreto. O último, aprovado por unanimidade, foi um substitutivo ao projeto de lei ordinário que autoriza o Executivo a destinar recursos financeiros de 2016, no valor de R$ 50 mil, referente ao IR devido retido na fonte, em favor do Lar Escola Amor e Luz (Leal). Entre os assuntos mais comentados pelos vereadores da casa, a paralisação dos funcionários da concessionária Rápido Luxo das linhas intermunicipais nas cidades de Campinas, VALINHOS, VINHEDO e LOUVEIRA por falta de pagamento de salário, sem aviso prévio da população, os 35 anos da Guarda Municipal, comemorados na semana passada, e ainda a alegria e satisfação registrados nos primeiros dias de funcionamento da Santa Casa de VINHEDO após a reinauguração feita no dia 2.

CHUMBO TROCADO ENTRE ANA E PORT
Hamilton Port respondeu a Ana Genezini na tribuna a respeito de sua contundente acusação ao dr. Dario na sessão anterior, em altos brados, quando se colocou indignada com reportagem em que o vereador classificava como ‘insuficientes’ os investimentos em reforma e ampliação da Santa Casa. Inclusive fez menção ao fato de Ana, no momento em que Port saia do plenário naquela sessão, ter dado o seguinte recado: “Santa inocência a sua”, se referindo à certeza de Port de que o ex-presidente Milton Serafim está definitivamente fora do PTB após a desfiliação. “Digo apenas que há um compromisso entre eu e o dr.Dario de que não haverá interferência deste ‘cacique’. Eu fui para o PTB porque confio no Dario. Se assim não for, saio da legenda a qualquer momento. Não estou mais aqui para me aborrecer”, disse. Sobre a fala de Ana contra dr.Dario, Hamilton chamou a vereadora à união e não à divisão do Legislativo. “É preciso respeitar e ouvir a opinião alheia. A crítica é pertinente e deve ser respeitosa, e não agressiva, com ‘sangue nos olhos’. Sua reação apoplética à entrevista dada por Dario foi exagerada. Ele não falou nenhuma inverdade. Quem melhor do que o vereador, presidente da comissão de saúde desta Casa, e médico há tantos anos para fazer essa avaliação sobre o hospital?”, questionou.

468 ad