VINHEDO: Você pode ‘aquecer’ o gelado inverno deste ano com a sua solidariedade

A9_VDO_pizza paulo de tarso_cred reprodução

 

Os próximos meses prometem ser bem difíceis para os vinhedenses, não apenas por conta da crise econômica que se abate sobre o país, gerando milhares de desempregados, mas também pelo prenúncio de um inverno rigoroso, com temperaturas baixíssimas e que já provocaram várias mortes de pessoas em situação de rua em cidades da região. Para complicar ainda mais, os governos municipais, estaduais e o federal, assistem suas arrecadações caírem vertiginosamente e estão vivendo dia após dia contando os centavos na tentativa de fechar a contas de cada mês. É nessas horas que a atuação do chamado Terceiro Setor e da solidariedade do brasileiro mostram  a sua força e revelam o quão mais grave seria a realidade sem a atuação imprescindível da sociedade civil.

Para quem ainda não está familiarizado com a expressão, vale a explicação: o Primeiro Setor é o governo, que é responsável pelas questões sociais; o Segundo Setor é o privado, responsável pelas questões individuais. Com as dificuldades do Estado, o setor privado começou a ajudar nas questões sociais, por meio de inúmeras instituições que compõem o chamado Terceiro Setor, como organizações sem fins lucrativos e não governamentais, entidades, comunidades religiosas ou não, que têm como objetivo gerar serviços de caráter público, ajudando a diminuir o abismo entre o que a população precisa e o que o governo consegue atender.

Algumas bem conhecidas dos vinhedenses são: centros espíritas Paulo de Tarso e Batuíra, Confraria de Pai José, Igreja Batista Água Viva, os Vicentinos, Conselho de Pastores de Vinhedo (Copavi), Reencontro, entre dezenas que atuam em várias regiões da cidade. E a elas se une o Poder Público, atuando por meio da Secretaria de Assistência Social, Fundo Social de Solidariedade e da Federação das Entidades Assistenciais (Feavin), que reúne entidades devidamente registradas e cadastradas pela Prefeitura de VINHEDO.

O atual secretário municipal de Assistência Social, Júnior Vendemiatti, que acaba de assumir a Pasta, está com toda a energia para caminhar na recuperação de adultos, crianças e famílias em situação de vulnerabilidade. Ele lembra que, enquanto em outras cidades há registro de mortes pelo frio nas ruas, VINHEDO é privilegiada por contar com uma casa-abrigo, que hoje atende 30 pessoas que estavam em situação de rua. “A população pode ajudar, informando ao Centro de Referência de Assistência Social (Cras) caso veja ou saiba de algum caso de pessoa vivendo na rua. É só ligar pra lá ou ainda pedir a ajuda da GM para encaminhar a pessoa”, explica.

Ele explica que esse trabalho é inovador na Prefeitura e tem apresentando um retorno enorme. Também por meio do Cras, são distribuídas cestas básicas a famílias cadastradas. “Mas não é só a cesta básica. O trabalho passa por várias etapas, de forma a retirar essa pessoa ou família da situação e vulnerabilidade, devolvendo-a à sociedade de maneira produtiva e independente. Precisamos sempre com a ajuda e contato direito com os vinhedenses. Não só com doações materiais, mas também com doação de tempo, envolvimento emocional em prol da coletividade”, lembra o secretário.

Ele exemplifica que qualquer pessoa que disponha de 30 minutos da sua semana para alguma ação social já está prestando imenso trabalho, seja dando uma palestra sobre seus conhecimentos, uma aula de esportes, fazendo companhia a um idoso. Há diversas maneiras de estar com o outro. “Envolver a população nessas ações é um dos nossos desafios”, revela.

O trabalho da Assistência Social, diz Vendemiatti, é difícil de mostrar em toda sua extensão, por ser complexo e demandar tempo. “Mas, por outro lado, é muito gratificante ver os resultados. Estive no Cras recentemente ouvindo os depoimentos de mulheres em processo de recuperação e fiquei emocionado com as falas. É aí que vemos o quanto vale a pena. A gente quer o ser humano da sua amplitude, vivendo todo o seu potencial”, ressalta. Ele revela que deverá lançar no final deste ano o primeiro exemplar da Secretaria, mostrando as atividades desenvolvidas e os resultados atingidos.

Gente precisando de ajuda é o que não falta e é hora das pessoas arregaçarem as mangas e entrarem numa corrente de solidariedade e ajuda ao próximo. As entidades são unânimes em apontar que nos últimos meses tanto a procura por apoio como as iniciativas e mobilização popular vêm crescendo. A FOLHA NOTÍCIAS entrou em contato com algumas dessas entidades e mostra parte dos trabalhos desenvolvidos por elas e como você, cidadão, pode ajudar.

  • Reencontro – Associação organizada para fins não econômicos e de utilidade pública, associada da Feavin, que atende indivíduos em alta vulnerabilidade social, que se encontram em situação de rua, e também aqueles que desejam encontrar uma nova maneira de viver, sem o uso de álcool e outras drogas. Eles contam com uma casa de passagem, com cerca de 30 vagas e realizam o recâmbio da pessoa que chega a Vinhedo de outras cidades, assim como a ressocialização dos moradores de rua da cidade. Precisam de agasalhos, meias, cuecas, calçados masculinos de numeração alta, itens de higiene pessoal, barbeador, alimentos em geral e até mesmo eletrodomésticos. Também aceitam serviços de voluntariado como palestras, serviços de manutenção, pintura, por exemplo. Endereço: Estrada da Capela, 1.199 – Capela – Telefone: (19) 3826-5003

 

  • Centro Espírita Batuíra de VINHEDO – Atua em várias frentes: auxilia famílias mensalmente com cestas-auxílio e leite para cadastrados; kits alimentação rápida para moradores de rua (macarrão instantâneo, sardinha); banho e trocas de roupa; atendimento a cerca de 30 famílias mensalmente. Eles precisam de doações de roupas, cobertores, arranjos de cama, toalhas, cuecas, meias, sapatos masculinos (38, 39, 40, 41, 42); roupas infantis de numeração 29 a 33. As doações podem ser feiras na rua Mário O. Falsarella, 235, às quartas-feiras, das 13h30 às 16h30. Informações pelo telefone: (19) 3886-6392.

 

  • Confraria do José – Instituição beneficente sem fins lucrativos, voluntários se tornam amigos e se engajam nas atividades da casa, que promove eventos de cunho social, bem como campanhas como arrecadação de cobertores, alimentos entre outros que são realizados constantemente. Mensalmente são preparadas e distribuídas cerca de 3 mil marmitex, sempre no último sábado do mês nas região de Campinas. A confraria não aceita em hipótese alguma doações em dinheiro. Portanto, quem quiser ajudar pode levar alimentos, roupas e cobertores, na rua Padre Bento Pacheco, 675, na Vila São Joaquim.

 

  • Centro Espírita Paulo de Tarso – Associação religiosa filantrópica sem fins lucrativos, que na área social assiste 90 famílias atualmente, com visitas, cadastramento e avaliação de suas reais necessidades, proporcionando aos sábados, transporte, recepção com café da manha, aulas de educação de base (ministradas por profissionais da área de medicina, psicologia, assistência social, odontologia, nutricionista, meio ambiente, entre outros), assistência espiritual, evangelização, almoço, entrega de cestas básicas, roupas, calçados, produtos de higiene e limpeza. Esse atendimento será transferido para a unidade da Capela em agosto, na rua do Café, 350. A entidade realiza eventos como o Dia da Pizza, Feijoada, e bazares para arrecadar fundos para as atividades e conta com 250 voluntários. Aceita qualquer tipo de doação, desde vestuário, brinquedos, móveis, eletrodomésticos, calçados, cobertores, agasalhos e principalmente alimentos, que tiveram redução de doação nos últimos meses. O endereço é rua Pintassilgos, 320 – Jardim Itália – telefone: (19) 3876-2019.
468 ad